Com um corpo docente composto, no anterior ano lectivo, por nomes como Paulina Mata, Maria Da Conceição Dias, Virgílio Gomes, Luís Baena e Fausto Airoldi, o mestrado tem uma forte componente química e científica e é dirigido a licenciados das áreas de Química, Biologia, Agronomia, Engenharia Alimentar, Saúde, Hotelaria e Restauração e Turismo. “O objectivo geral que se pretende alcançar é o de proporcionar uma formação científica e técnica aprofundada e especializada no domínio da ciência dos alimentos. Deve ainda dar aos alunos uma visão geral da gastronomia que envolva aspectos culturais e técnicos de outras áreas”, lê-se na apresentação do mestrado.
O curso, dividido em quatro semestres, resulta de uma parceria do ISA (Universidade Técnica de Lisboa) com Faculdade de Ciências Tecnológicas (Universidade Nova de Lisboa).
Recorde-se que o IST também dá formação superior nas áreas da engenharia alimentar e enologia, entre outras.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.