Foi em 2011 que Finkus Bripp e os "Netos do Pôpa" (Stéphane e Vanessa Ferreira) quebraram as regras e lançaram esta dupla de draw wines, que se distinguem na imagem, mas também na identidade: em que os tradicionais descritores são substituídos por características humanas. O conhecido ilustrador e pop artist McBess foi o autor da imagem dos rótulos de Lolita e MILF.

Embora sejam os dois feitos a partir das mesmas castas autóctones da região – Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinto Cão e Vinhas Velhas –, são néctares distintos, a mostrar o potencial da região e a expressão do terroir que lhes dá origem. A fórmula de cada um dos blends surpreende pelo contraste dos seus perfis. O Lolita tinto 2013 é um romance de boas maneiras, jovem e fresco, de tanino redondo; narrativamente explosiva e recta, com persistência no final de boca. Já o MILF tinto 2013 é mais complexo, intenso e aliciante nas suas notas de fruta madura; carrega sabedoria e promete longevidade.

Dois vinhos que estão na génese dos Pôpa Art Projects, conceito idealizado pelos "Netos do Pôpa" com o intuito de mostrar “outro ponto de vista” do mundo do vinho, aliando-o à “arte de cuidar, de fazer, de manter o que é para manter, de inovar o que faz sentido inovar, de expor e de partilhar”, afirma Vanessa Ferreira.

Lolita tinto 2013, DOC Douro chega aos lineares com o preço de 18,00 euros. Já o MILF tinto 2013, DOC Douro, orça os 28,00 euros.

Lolita & MILF, dois néctares que prometem aquecer o Dia dos Namorados

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.