“Hoje damos início a uma nova era no setor vitivinícola nacional”, congratulou-se João Barroso, coordenador do Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo (PSVA), da CVRA.

A atribuição à Herdade dos Grous da 1.ª certificação de Produção Sustentável é um “passo histórico para o Alentejo e para o país, porque contribuímos para o reconhecimento de que é possível ser sustentável como um todo”, considerou o responsável, no comunicado da CVRA enviado à agência Lusa.

E também porque “projeta a imagem” dos vinhos do Alentejo “nos mercados internacionais estratégicos que valorizam, e muito, as boas práticas de sustentabilidade”, acrescentou.

A certificação, inédita em Portugal, foi lançada pela CVRA, em agosto, e reconhece aos produtores da região boas práticas económicas, sociais e ambientais, das vinhas até à adega.

O “selo” é atribuído por quatro empresas certificadoras (Bureau Veritas, Certis, Kiwa Sativa e SGS), que estão a trabalhar em colaboração com a CVRA para a certificação de produtores de vinho que sejam membros do PSVA.

Luís Duarte, gerente e enólogo da Herdade dos Grous, pertencente ao grupo alemão Vila Vita Hotels, destacou hoje à Lusa que a obtenção da certificação vai ao encontro do trabalho desenvolvido na empresa, desde 2015, quando aderiu ao PSVA.

“Acreditamos que este é o caminho e inscrevemo-nos logo no PSVA, pela experiência que tínhamos e pelo conhecimento do mundo dos vinhos, e trabalhámos afincadamente” em matéria de sustentabilidade, que “é filosofia da empresa”, frisou.

A certificação mostra “que estamos no caminho certo” e significa “que alguém nos veio dar essa garantia, de que estamos a fazer as coisas bem” na Herdade dos Grous, que tem “muito orgulho das suas práticas ambientais”.

O mercado “tem uma procura muito maior por empresas que têm preocupação com a ‘pegada ecológica’ e boas práticas”, sobretudo “os países nórdicos”, e, agora, este “selo” pode ter um efeito positivo nas vendas, segundo Luís Duarte.

Herdade dos Grous
Herdade dos Grous créditos: Herdade dos Grous

“Os mercados com mais poder de compra dão uma importância muito grande” às questões da sustentabilidade e a certificação “é um contributo para a diferenciação que os nossos produtos já têm, porque o foco, há muito, é mostrar toda a nossa biodiversidade e trabalho que fazemos”, disse.

A escolha de castas mais resilientes às alterações climáticas, a implementação de práticas agrícolas que potenciam a proteção dos solos e a promoção da biodiversidade, o uso eficiente de energia e de água foram alguns dos “aspetos fundamentais” para a atribuição do “selo” à Herdade dos Grous, indicou a CVRA.

Outros foram o recurso a energias renováveis e a materiais mais sustentáveis na embalagem dos produtos e as iniciativas de responsabilidade social que a empresa promove, junto dos colaboradores e da comunidade.

Foram igualmente avaliadas práticas como a promoção da paisagem agrícola em mosaico, mantendo e incrementando a biodiversidade, a manutenção e reflorestação do montado, a criação de sementeiras de pastagens permanentes e com biodiversidade, o olival, as áreas de pousio e a promoção de bancos de habitats para polinizadores.

O objetivo, agora, “é que 2021 seja um ano com um aumento significativo de produtores com o ‘selo’ de produção sustentável e há sete a 10 produtores que estão a ultimar o seu caminho para poderem ser elegíveis”, revelou à Lusa o responsável do PSVA.

Vincando que não é o produto, neste caso os vinhos, que é certificado, porque “o que é considerado sustentável é todo o modo de produção”, João Barroso argumentou que o “selo” assume-se como “uma mais-valia e uma vantagem competitiva para os produtores do Alentejo, no mercado nacional e no internacional”.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.