No século XVIII, um copo de vinho de tamanho médio tinha capacidade para conter perto de 66 ml de líquido. Hoje, numa época em que o consumo de vinho se generalizou e massificou, podemos encontrar copos com capacidade para quase meio litro de bebida (449 ml). Na verdade, um copo de vinho corrente há 300 anos, só teria capacidade para metade da medida "oficial" mais pequena que encontramos atualmente, ou seja, 125 ml.

Estes são alguns dados avançados pela Unidade de Pesquisa de Comportamento e Saúde da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, que tornou público um estudo (pode ser consultado aqui), citado pelo jornal The Guardian, que analisa a capacidade dos copos de vidro para vinho desde 1700 até ao presente. O objetivo do trabalho, liderado pela Professora Theresa Marteau, diretora da já referida Unidade, é compreender em que medida a alteração no tamanho dos copos, pode ter contribuído para o aumento do consumo de vinho. Um acréscimo que pode estar a empurrar o consumidor para uma ingestão de vinho superior à quantidade aconselhável (um copo às refeições).

O estudo envolveu a análise de peças do acervo do museu Ashmolean, em Oxford; copos de vidro usados no Palácio de Buckingham e copos mais recentes nos catálogos dos armazéns John Lewis (artigos para casa e moda). A evidência é clara: os copos mais recentes são maiores.

Bebemos hoje o vinho em copos sete vezes maiores do que há 300 anos
Copo de vinho do século XVIII.

Para este estudo, os investigadores avaliaram a capacidade de 411 copos, de 1700 até à atualidade. Descobriram que a capacidade do copo de vinho aumentou de 66 ml nos anos 1700 para 417 ml na década de 2000. Já em 2016/2017, o copo de vinho agigantou-se, atingindo, em média, uns soberbos 449 ml.

"Por volta de 1700, os copos de vinho tornaram-se um receptáculo comum para o vinho ser bebido. ", afirma o estudo, acrescentando: "isto seguiu-se ao desenvolvimento de cristal de chumbo por George Ravenscroft no final do século XVII, o que levou à produção de copos menos frágeis e maiores do que era anteriormente possível".

"Desde a década de 1990, o tamanho aumentou rapidamente. Se tal levou ao aumento do consumo de vinho em Inglaterra, não podemos dizer com certeza, mas um copo de vinho há 300 anos só teria mantido cerca de metade da pequena medida de hoje ".

O teor alcoólico dos vinhos vendidos no Reino Unido também aumentou desde a década de 1990, aumentando desta forma a quantidade de álcool ingerida pelos consumidores.

Sublinhe-se que no Reino Unido, o vinho é maioritariamente servido em pubs e bares em porções de 250 ml/copo. Volumes menores de 125 ml, estão muitas vezes ausentes de listas de vinhos ou menus, apesar de este ser um requisito regulamentar para que os estabelecimentos licenciados para venda de bebidas alcoólicas consciencializem os seus clientes.

Neste contexto, a Associação de Comércio de Vinhos e Bebidas Espirituosas (WSTA) declarou que as tendências sociológicas provavelmente foram parte do motivo do aumento do tamanho do copo para vinho. "O tamanho de um copo de vinho reflete a tendência e as modas da época e muitas vezes é maior por razões práticas", afirmou Miles Beale, chefe-executivo da WSTA. "O vinho tinto, por exemplo, é servido num copo maior para permitir que ele respire, algo que talvez não fosse prioridade há 300 anos".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.