No mundo do calçado masculino existem pequenas diferenças nos diversos modelos que passam despercebidas a muitos homens. Para simplificar a compreensão e a perceção destes pormenores, elaborámos um pequeno dicionário elucidativo. Começamos por dividir os diferentes modelos de sapatos em cinco grupos distintos, os Oxford (onde estão presentes os Derby e os Blucher) os Monk Strap, os Loafers, as Botas e também os Brogues. Estas variações acontecem consoante o material do sapato, as cores, a forma da biqueira e os pormenores aplicados. Dê uma vista de olhos!

Oxford

Considerados os mais formais, os Oxfords surgiram por volta de 1840 quando os homens passaram a usar sapatos com o tornozelo descoberto ao invés das tradicionais botas. A sua principal característica é o modo como se apertam e por serem abertos na parte superior, com duas abas soltas, mas cosidos na outra extremidade. Este facto advém de que a aba com furos é feita numa única peça que vem desde a sola do sapato e que não é aplicada posteriormente como acontece nos outros modelos. É um sapato para se usar com looks mais formais (como é o caso dos fatos), para trabalhar no mundo empresarial ou em festas (com smokings). Além disto, este modelo também pode ser utilizado em looks mais simples e casuais. Os oxfords tem várias variações como o Patent Oxford, de verniz, ou o modelo clássico também apelidado de Balmoral ou Cap Toe Oxford, entre outros.

O dicionário dos sapatos masculinos

Oxford ou Derby

Tal como referido, ao contrário dos sapatos Oxford, os Derby tem duas abas soltas, onde são colocados os atacadores. Por este motivo são sapatos confortáveis para andar, uma vez que se adaptam melhor a pés grandes. De uma forma geral, é um modelo bastante semelhante ao Oxford e, por isso, são facilmente confundíveis. Porém, existem pequenas diferenças que tornam o Derby um sapato ligeiramente menos formal, sendo o mais adequado para situações mais casuais.

O dicionário dos sapatos masculinos

Derby ou Blucher

Originalmente chamado Blucher, devido ao general Gebhard Blücher, este tipo de sapato confere um maior conforto aos pés e pernas.

O dicionário dos sapatos masculinos

Monk Strap

Este tipo de sapato deriva do calçado usado pelos monges no século XV, daí o nome Monk (monge). Caracteriza-se pela fivela que tem no peito do pé, usada para substituir os atacadores. Em termos de formalidade, vem depois depois do Oxford e do Derby. As variações mais comuns são o Single Monk Strap com apenas uma fivela ou o Double Monk Strap, que tal como o nome indica possui duas fivelas.

O dicionário dos sapatos masculinos

Loafers

Os Loafers fazem parte de uma categoria maior de sapatos chamada de “Slip on-shoes” que se traduz como sapatos deslizantes. Destacam-se pela facilidade em calçar, pois só é preciso deslizar o pé, e também pelo conforto que conferem. Aliás, o Loafer é uma versão mais sofisticada deste modelo de sapatos popularizado na década de 50 do século XX, onde eram conhecidos como sapatos de vela, por serem usados em atividades de lazer relacionadas com a água.

O dicionário dos sapatos masculinos

O Loafer é um sapato fechado sem atacadores nem fivela, que se distingue por ter uma faixa de couro com um desenho ou adorno na parte superior do peito pé. Existe uma categoria mais informal, onde entram os Mocassins, os Top Sider ou Dockside (com sola de borracha), e outra um pouco mais detalhada, da qual fazem parte os Penny Loafers, o Loafer Clássico e o Tassel Loafer, que pedem um estilo mais descontraído apesar de, dependendo do modelo, também podem ser usados em situações mais formais.

O dicionário dos sapatos masculinos

Botas

Existem três modelos essenciais: as botas clássicas, as botas Chelsea (com o elástico na lateral do sapato) e as Chukka (um modelo mais simples com apenas dois ou três furos em cada aba para atacadores). Este tipo de calçado funciona na perfeição com calças de ganga ou de outras cores.

O dicionário dos sapatos masculinos

Dentro desta categoria destacam-se ainda as botas de biqueira de aço, as descontraídas botas do fim de semana (um híbrido entre ténis e bota) e também as de estilo militar.

O dicionário dos sapatos masculinos

Brogue ou “Wingtip”

Habitualmente considerado como mais um modelo de sapatos, o Brogue caracteriza-se por ser um detalhe decorativo de furos na biqueira que contribui fortemente para a distinção entre os vários modelos de sapatos dentro de cada uma das grandes categorias. Este calçado tem diversos modelos, como é o exemplo do  “Semi/Half Brogues Oxfords” (com a biqueira decorada no centro até às extremidades do sapato) ou do “Quarter Brogue Derbies” (em que a perfuração é quase inexistente, fazendo apenas uma linha que delimita a biqueira).

O dicionário dos sapatos masculinos

Ténis, sandálias, chinelos

Existe também outro tipo de calçado mais confortável, como é o caso dos ténis, sandálias, chinelos ou alpargatas que, por terem nomes que nos são muito mais familiares não foram acima referidos, mas que não deixam de ser essenciais para qualquer homem.

O dicionário dos sapatos masculinos

Gostava de receber mais informações sobre este tema? Subscreva a nossa newsletter e as nossas notificações para que nada lhe passe ao lado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.