Missoni

Um look distinto de todos os outros e que se adapta a qualquer ocasião. É assim que a Missoni descreve a sua nova coleção outono/inverno 2021/22 criada a pensar na mulher independente.

As suas propotas foram "criadas ao longo de um ano, da primavera ao inverno, com um videoclip que, ao captar o espírito jovem, dinâmico e urbano, transcende o conceito de tempo e espaço, permanecendo eternamente relevante," pode ler-se no Instagram oficial da marca sobre a coleção.

Fendi

A Fendi foi das poucas marcas que, este ano e ainda em contexto de pandemia, decidiu apostar num desfile tradicional cujo cenário remetia para a Roma Antiga. O seu objetivo foi "celebrar o legado e savior-faire excecional da Fendi, reinterpretando os códigos de estilo da marca para os tempos modernos."

Beige, camel, toupeira, branco e rosa foram os tons dominantes desta coleção onde "os ricos contrastes tatéis são explorados em looks monocromáticos para um maior impacto visual, do mármore suave ao preto total", refere a marca nas redes sociais.

Prada

Os termos mudança e transformação foram o ponto de partida para a dupla de estilistas Miuccia Prada e Raf Simons criarem as propostas femininas para o próximo outono/inverno.

"Esta coleção explora o espaço que existe entre polos opostos - o ponto entre simplicidade e complexidade, elegância e praticidade, limitação e libertação, que são passados entre si", explica a casa italiana no seu Instagram.

Moschino

Inspirado no filme "The Women", Jeremy Scoott decidiu criar a sua própria versão da película de 1939 para dar a conhecer ao fãs a sua nova coleção. Para a curta - intitulada Jungle Red - escolheu 36 modelos e musas cujos nomes incluem Diva Von Teese, Winnie Harlow, Miranda Kerr e Hailey Bieber.

"Precisamos de fantasia e glamour mais do que nunca e coisas que nos façam sentir maravilhosos e acho que o fato de treino não faz isso", afirmou o estilista em entrevista à Vogue sobre a sua nova coleção que, contrariamente aos outros estilistas, preteriu o glamour ao conforto.

Emporio Armani

O designer de 86 anos regressou à decada de 1980 para apresentar a sua nova coleção "Pop shades" repleta de texturas, brilhos e padrões.

Tal como explica a casa de moda, "na Emporio Armani, a harmonia das formas e a elegância relaxadas - que são a essência da Armani - são reveladas de uma forma elegante, atrevida e metropolitana, apimentadas com toques espirituosos".

Giorgio Armani

O gorila foi o foco central do desfile da Giorgio Armani que para além de "personificar o desejo do designer de comunicar de forma direta, pessoal e sem filtro" e o seu amor pelos animais, serve ainda para simbolizar "o seu compromisso com o meio ambiente e a sua proteção."

"Esta temporada é rica em toques delicados e românticos: toques de tons aguados, verdes com brilho turquesa, púrpuras pálidos e rosas suaves, a ênfase dos folhos no colarinho das camisas, a silhueta de casacos boxy pequenos, o punho das camisolas", explicou o designer nas redes sociais sobre a coleção feminina.

Para os homens o designer apostou "num guarda-roupa estruturado, uma coleção de peças que, quando atualizadas, duram décadas com rápidas transições. São roupas que cada homem pode usar e misturar como desejar, de forma a expressar e fazer uma representação de si mesmo."

Salvatore Ferragamo

Paul Andrew procurou inspiração "na liberdade conceptual da ficcão científica" e apresentou uma coleção com os olhos postos no futuro.

"Na moda, o passado exerce uma certa gravidade - pela qual nos sentimos atraídos. Para esta temporada quis inverter essa teoria da física. O objetivo foi engendrar uma coleção que olhe para o presente pelo prisma do futuro - estimulando uma multiplicidade de novas perspetivas", explicou o diretor criativo da Salvatore Ferragamo.

A coleção para a próxima temporada, que se destaca pela sua consciencia ecológica e inovação dos materiais utilizados, "propõe um novo uniforme para um futuro utópico onde a diversidade e positividade se combinam para transformar o mundo para melhor."

Valentino

Act Collection é o nome da última coleção da marca Valentino. Para a temporada outono/inverno 2021/22, Pierpaolo Piccioli traçou "um caminho consciente e romântico" onde "os calções querem-se curtos na perna, as calças acima do tronozelo. Os vestidos, todos brancos, são fluídos e translúcidos,"

O desfile, que foi gravado no interior do Teatro di Milano sem convidados, contou com a atuação da cantora britânica Cosima.

Dolce & Gabbana

Tecidos holográficos, estampados, peças gráficas e brilho são alguns dos elementos que se destacaram nesta coleção que "revela como a tecnologia e o trabalho artesanal, dois mundos aparentemente diferentes, se juntam para celebrar o feito à mão."

Para o próximo outono/inverno 2021/22, a Dolce & Gabanna inspirou-se na "robótica e inteligência artificial" e contou com uma presença muito especial no seu desfile: o robot iCub.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.