Marc Jacobs, Gucci, Luis Vuitton, Prada, Moschino, Valentino, Dior, Carolina Herrera... Teddy Quinlivan já pisou a passerela de muitas das marcas de luxo mais vendidas do mundo.

Ontem, em entrevista à estação de televisão norte-americana CNN, a modelo ñorte-americana revelou ser transgénero. "É político, mas também estou a fazê-lo por mim. Estava pronta para me revelar, mas acho que os tempos que vivemos aumentaram a importância e a urgência", começou por explicar.

Decidi revelar a minha identidade enquanto transgénero por causa do clima político que, neste momento, se sente no mundo — em particular nos Estados Unidos

Estas palavras têm um alvo: "Fizemos um progresso fantástico sob a Administração Obama e desde que a nova Administração tomou lugar tem havido algum retrocesso", justificou-se logo depois, referindo-se ao Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

A estrela aproveitou a Semana da Moda de Nova Iorque, que terminou ontem, para fazer a revelação. Depois da estreia em certames de moda em 2015, Teddy Quinlivan ascendeu ao patamar das modelos mais requisitadas da atualidade em pouco tempo.

A modelo concluiu a sua transformação aos 16 anos e desde então começou a trabalhar como modelo. Assumiu-se sempre como cisgénero - alguém com identidade de género idêntica à atribuída à nascença. E ninguém o questionou. A modelo é, aliás, a primeira a admitir que o seu aspeto, tal como a voz, nunca levantaram quaisquer suspeitas, apesar de ter nascido num corpo de homem.

Veja ainda: Também há tamanhos grandes na semana da moda de Nova Iorque

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.