“Porque é que queres ser modelo?” Foi esta uma das perguntas que o SAPO Lifestyle começou por fazer a alguns dos concorrentes do Model Tour 2016, um concurso que tem como objetivo descobrir novos talentos nacionais na área da moda. Serena, uma das concorrentes, tem a resposta na ponta da língua. “Eu inscrevi-me no concurso porque sempre gostei muito de moda. As roupas e as grandes estilistas sempre me fascinaram”, refere a jovem de 17 anos cujo sonho é desfilar para Donatella Versace. Mas para se ser um bom modelo não basta gostar de moda e ter uma boa imagem. É preciso algo mais.

“O modelo terá que ter um conjunto de fatores externos e internos: formato do rosto, proporcionalidade de medidas, assim como a tonalidade de pele, de olhos e de cabelo. E depois, a nível interno, tem a ver com um aspeto fundamental que é a personalidade. Todos eles têm que ter uma grande força de vontade e uma grande estrutura interior para conseguirem competir no mundo dos nãos”, explica Lido Palma, diretor da Karacter Agency, em entrevista ao SAPO Lifestyle.

Mas se há quem saiba o que quer e venha atrás de um sonho, também há quem venha em busca de novas experiências e desafios. É o caso de Rafael, 22, e Gérson, 17, que têm histórias semelhantes: apesar do mundo da moda não lhes ser muito familiar, o seu look não passou despercebido ao olhar atento dos vários scouters da agência que estão sempre à procura de novos talentos.

“A minha mãe sempre insistiu para me inscrever numa agência porque achava que eu tinha perfil. Mas como sou tímido nunca fui. Entretanto fui abordado na praia e decidi experimentar este novo desafio”, conta Rafael, um dos semi-finalistas que vai integrar a próxima fase do Model Tour 2016. Durante quatro dias, dezenas de jovens irão integrar um bootcamp onde terão formação sobre a futura carreira de modelo e a oportunidade de realizar uma sessão fotográfica.

“Nós vamos, do zero, lapidar estes diamantes e prepará-los - quer a nível da imagem quer a nível da personalidade – para que possam enfrentar primeiro os desafios em Portugal e depois no estrangeiro”, explica o diretor.

Mas para alguns jovens a carreira de modelo não é exclusiva e é desenvolvida em paralelo com outros sonhos profissionais. “Eu faço teatro e isso é algo que gostava de fazer até ao fim da minha vida”, conta Natália Correia. Com apenas 17 anos, a jovem tem o perfil adequado: é alta, magra e bonita. Mas a relação com o corpo parece não ser a ideal. “Acho que precisava de emagrecer um bocadinho”, refere. Serena partilha da mesma opinião.

Será então caso para dizer que as mulheres sofrem mais pressão do que os homens? “Eu acho que é um mito o facto dos rapazes sentirem menos pressão do que as raparigas porque acho que a indústria causa a mesma pressão em ambas as partes. A única diferença é que os problemas dos homens são um bocado ignorados” afirma Vinícius, que aos 18 anos sonha em fazer editoriais para a reputada marca francesa Saint Laurent. Independentemente de ser homem ou mulher, é importante que os modelos tenham uma boa relação com o seu corpo, assim como uma grande confiança e autoestima.

“Os homens têm que ter muito cuidado com a alimentação, praticar ginásio e ter um corpo tonificado tal e qual como as mulheres, pois se não tiverem as medidas exatas para trabalhar no mercado internacional não têm sucesso. Mas construir as medidas no corpo feminino dá mais trabalho na mulher do que no homem? Eventualmente sim e há riscos que se correm”, explica o ex-produtor e coreógrafo de moda.

Apesar da Karacter Agency ser um projeto que faz de paixão, Lido explica que descobrir novos modelos e talentos nacionais é uma tarefa que requer uma grande dose de atenção e um bom olho clínico. “As pessoas deslumbradas eu deteto no primeiro minuto, porque das primeiras questões que faço é ‘Porque é que queres ser modelo? Queres ser modelo por uma questão pessoal ou de vaidade?’ E quando sinto que há um deslumbramento é um motivo de não seleção imediata”, conta. “Os modelos têm que ter os pés na terra mas não podem querer ser mais do que aquilo que são e nem podem deixar que este meio os domine no sentido de os transformar negativamente. Por vezes, as pessoas menos bonitas mas com uma personalidade mais forte e vincada são aquelas que singram porque têm os pés assentes na terra.”

Com dois novos castings do Model Tour 2016 a caminho, um no Porto e outro no Algarve, Lido Palma deixa um conselho fundamental para todos os jovens que desejam seguir a carreira de modelo e vingar no mundo da moda. “O modelo tem que ser uma pessoa que se trata e que gosta muito dela própria, porque é um narciso. E todos eles têm que ter essa vontade e alegria de viver para conseguirem transmitir em pequenos nadas - na sua performance e em cada trabalho - que realmente não são mais um. Têm que descobrir a sua uniqueness para que depois os outros, que os observam e que os contratam, possam sentir nos primeiros cinco segundos de forma evidente essa identidade e o que é que os distingue das restantes marcas que existem no mercado,” remata.

Clique na galeria e acompanhe passo a passo os bastidores do casting Model Tour 2016 que teve lugar no passado sábado em Lisboa.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.