Vivienne Isabel Swire nasceu no dia 8 de abril de 1941, em Tintwistle, no Cheshire, no norte de Inglaterra. O pai era armazenista numa fábrica de aviação e a mãe dona de casa. Em 1958, quando tinha 17 anos, a família mudou-se para Harrow, uma cidade maior, no Middlesex. Pouco depois, começou a frequentar um curso de joalharia e ourivesaria na Harrow Art School mas, pouco confiante em relação às aptidões artísticas, uns meses depois, desistiu. Foi trabalhar para uma fábrica e fazer formação para poder dar aulas.

Primeira loja da Gucci abriu em Florença há 100 anos. O fundador da marca nasceu há 140
Primeira loja da Gucci abriu em Florença há 100 anos. O fundador da marca nasceu há 140
Ver artigo

Lecionava como professora primária quando começou a produzir a sua própria joalharia, que depois vendia numa tenda em Portobello Road, uma das mais populares artérias de Londres. Em 1962, quando casou com Derek Westwood, um aprendiz fabril, desenhou o próprio vestido de noiva e, ocasionalmente, passou a dedicar-se à costura. No ano seguinte, teve o primeiro filho, Benjamin Westwood. Começou a dar nas vistas quando o artista e empresário Malcolm McLaren, que conhece entretanto e por quem se apaixona, lhe pediu que confecionasse peças para a boutique que então tinha em King's Road. Pouco depois, termina o casamento mas mantém o apelido do ex-marido, continuando a assinar Vivienne Westwood.

Só em 1971 é que deixa de dar aulas. Nesse entretanto, ela e o marido abrem a SEX, uma loja que vende roupa punk. As coleções que cria atraem atenções e a estilista cria a sua própria empresa. Nas duas décadas seguintes, conquista o mundo com as suas criações ousadas e exuberantes. Em 1992, é condecorada pela raínha Isabel II no palácio de Buckingham em Londres. Em 2012, entra para a lista dos ícones culturais britânicos. Pelo meio, veste celebridades globais como Marion Cotillard e Sarah Jessica Parker.

Apesar de ser uma mulher de causas, viu a sua atividade empresarial envolvida em polémica. Foi acusada de evasão fiscal em 2011. Teve de pagar 350.000 libras esterlinas, mais de 400.000 euros, em impostos em falta. Em 2013, foi denunciada a utilização de matérias-primas tóxicas nas suas coleções. Para se redimir, passou a usar algodão orgânico de produção ética e sustentável, material que integra algumas das peças da última coleção que lançou para a primavera/verão de 2021, que pode ver de seguida.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.