O BodyTite de Invasix é um aparelho com
capacidade de produzir ultra-sons que são transmitidos
através de um sistema que funciona paralelamente
à própria cânula de lipoescultura.

Trata-se de uma lipoescultura associada
à acção de ultra-sons.

O sistema da lipoescultura, com uma
cânula introduzida debaixo da pele directamente na
gordura, é acompanhado paralelamente por uma placa
circular (eléctrodo) que está do lado exterior da pele e
que emite ultra-sons para a própria cânula. «Os ultra-sons têm uma acção de coagulação térmica (atingem
temperaturas até aos 40 graus) e fazem com que haja
uma ruptura da membrana adiposa. A grande vantagem
é romper a membrana, a gordura sair sob a forma
de geleia e haver uma óptima coagulação sanguínea»,
explica o cirurgião plástico Biscaia Fraga.

Os resultados são consolidados ao fim de
dois meses. Durante seis meses, os pacientes são acompanhados
com regularidade. «Na minha óptica, esta técnica é especialmente indicada
para senhoras de meia-idade ou com idade mais avançada
com gordura moderada e pele moderadamente flácida.
Por exemplo, na face interna das coxas consegue-se
retirar a gordura e realizar-se uma óptima adaptação da
pele», refere Biscaia Fraga.

Em fase de testes

Esta novidade ainda se encontra
numa fase de poucos meses de treino, pelo que a duração
da intervenção pode demorar mais do que seria
suposto. «É uma técnica promissora que está a ser utilizada
em casos de gordura localizada de grau moderado.
A grande curiosidade é que consegue que a pele que se
encontra flácida se retraia e se adapte à nova condição»,
adianta o cirurgião plástico.

O recurso ao BodyTite requer anestesia local ou
local com sedação. O preço deste tratamento varia entre os 2.000 e 5.500 €.

Texto: Cláudia Pinto

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.