A doença venosa crónica define-se como a dilatação das veias e consequente deformação devido à estagnação do sangue. As veias dilatadas tornam-se visíveis e traçam linhas em relevo nas pernas, originando derrames e varizes.

Um dos tratamentos para este problema é o laser vascular, que obtém bons resultados nas microvarizes Sensação de peso, inchaço nos tornozelos, dormência e comichão nas pernas são os sintomas mais comuns da doença venosa.

Os principais factores de risco para o agravamento da doença venosa crónica são: o excesso de peso (muitas vezes provocado pelo sedentarismo), o tabaco, o álcool, a idade, o stress físico e psíquico, a hipertensão arterial, a gravidez, os contraceptivos orais, entre outros.

O laser transcutâneo está indicado no tratamento das telangiectasias e varizes reticulares (varizes de pequeno calibre). Quando a indicação é correcta e a execução efectuada com rigor, tem excelentes resultados, não só no que respeita aos sintomas mas também no que se refere à estética.

Tipos de tratamentos

Para evitar as complicações das varizes, devem-se tratar as veias aos primeiros sinais de pernas pesadas. O tratamento deve ser escolhido pelo médico de acordo com o caso:

Medicamentos - Tonificam as paredes das veias, evitam o agravamento e as recaídas após a operação ou esclerose (destruição) das varizes.

Compressão elástica - Efectuada com ligaduras ou meias elásticas, impede a dilatação das veias e evita o Flebologia. Nas pessoas que estão muitas horas de pé e sofrem de pernas pesadas as meias evitam as varizes.

Esclerose - Destruição das veias por injecções repetidas, com um medicamento esclerosante, junto a elas. É feita por médicos especialistas.

Laser - Aplicação de uma radiação electromagnética que vai eliminar os vasos e úlceras varicosas, angiomas, telangiectasias faciais, couperose, rosácea e microvarizes “derrames varicosos”.

Cirurgia - Indicada para varizes «grossas». Obriga a repouso e tratamento ortopédico.

Método CHIVA - Baseado num estudo hemodinâmico. Neste método dirige-se o fluxo sanguíneo dos segmentos não drenantes para as veias que estão a drenar correctamente, do sistema venosos superficial para o profundo. Desvia-se assim a corrente sanguínea para as boas veias.

Saiba mais na próxima página

O laser

Sendo o laser uma radiação electromagnética, o que significa a palavra laser? Resulta da junção das primeiras letras de cada uma das palavras inglesas “Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation”, o que significa Amplificação da Luz por Emissão Estimulada de Radiação.

A luz laser constitui, tal como outros tipos de luzes mais vulgares, como por exemplo a luz normal emitida pelo Sol, uma forma de radiação electromagnética. Como estabelecer, então, a diferença entre estes dois tipos diversos de luz? Podemos sintetizar essa diferença em quatro características distintas: a sua monocromaticidade, direccionalidade, intensidade e coerência.

Estas características específicas, enquanto luz amplificada, unidireccional, monocromática e com alto grau de intensidade e de coerência, permitem uma grande diversidade de aplicações não apenas na medicina, mas também noutras áreas bastante distintas, como a estética.

Laser vascular

Dentro da medicina, e conforme o tipo de lasers a utilizar – desde o chamado “Soft Laser” ao “Hard Laser” ou, mais simplesmente, dos lasers terapêuticos aos lasers cirúrgicos, assim varia o tipo de aplicação.

As principais áreas de utilização são a oftalmologia, a dermatologia, a cirurgia estética e a cirurgia vascular. No foro vascular, o laser tem aplicação em úlceras varicosas, angiomas, telangiectasias faciais, na conhecida couperose, na rosácea e nas microvarizes, mais vulgarmente conhecidas por “derrames varicosos”, podendo estas assumir diferentes características.

Microvarizes mais comuns

Reticulares – São mais frequentes na fossa poplítea e no terço superoexterno da perna, formando uma dilatação dos plexos profundos da pele (Foto1).

Filamentos de escova – São mais frequentes no músculo e têm um aspecto irregular mas com a mesma direcção. (Foto2)

Aranha vascular – São mais frequentes no pósgravidez, apresentam dor à palpação e compressão e têm o aspecto típico de uma aranha (Foto 3).

 

Telangiectasia – São mais frequentes na face interna da perna, costumam ser azuis ou vermelhas e têm um aspecto cilíndrico. (Foto 4)

Mancha Telangiectásia – São frequentes na face interna ou externa da perna, costumam ter aspecto de um angioma azul ou vermelho, esvaziam-se com a pressão. (Foto 5)

Saiba mais na próxima página

Tipos de laser

Laser KTP

Este laser tem uma gama muito ampla de potência e densidade de energia que, associada a um “spot” de aplicação adequado, permite a eliminação de vasos de curto tamanho < a 2 mm, o que é quase característica única dentro dos lasers actuais, sem efeitos colaterais significativos. Verifica-se no mesmo dia, que o desaparecimento da microvariz se inicia de imediato, sem efeitos secundários significativos sobre a pele. O Laser KTP 532 nm, permite obter óptimos resultados no tratamento de telangiectasias e aranhas vasculares, que se manifestam com frequência e concomitantemente em doentes com veias varicosas. 

Laser ND-Yag

 Outro laser muito utilizado em vascular é o laser de Neodimio Yag, que emite a 1.064 nm e, em particular, o Nd-Yag de pulso longo. Com outras características, tanto em termos de potência, densidade de energia e, sobretudo, pelo seu elevado poder de coagulação e a sua melhor capacidade de penetração, é uma referência obrigatória na patologia vascular, pois possibilita uma melhor destruição das lesões, aliada à possibilidade de poder ser transmitido por fibra óptica. Este laser tem uma absorção também próxima da curva final da oxihemoglobina, constituinte sanguíneo que permite uma coagulação com características ideais - a coagulação é obtida com a elevação da temperatura entre os 50° e os 90° C, sendo a temperatura ideal os 80° C, durante um segundo. Possibilita o tratamento de varizes e varicosidades de maior calibre, até 8mm, o que se traduz também numa complementaridade quando se torna necessário eliminar vasos que têm associadas veias nutrientes com calibre mais fino.

Técnica recente

Outros tipos de varizes com características diferenciadas de outro calibre e tamanho requerem a utilização de novas técnicas para a sua eliminação. Para esse efeito destaca-se a eliminação por cirurgia endovascular (através de fibra óptica), com o Laser Diode 980nm, que permite tratar qualquer variz, independentemente do seu calibre e localização.

Este método designa-se por CELIV - Cirurgia Endoluminal Laser Intravascular. É o tratamento mais recente e de eleição em patologia venosa. Tem como objectivo, através de uma fibra óptica que é introduzida no trajecto interno da variz, efectuar a sua fotocoagulação e eliminação imediata. É uma técnica minimamente invasiva, é efectuada em ambulatório e requer apenas uma ligeira anestesia local.

Saiba mais na próxima página

Varizes e calor

Num período de mais calor, como o Verão, é preciso ter cuidado com as pernas, sobretudo as pessoas que sofrem de derrames e varizes. Quem sofre desta doença, não deve descurar os cuidados nas idas à praia: manter as pernas à sombra (pelo menos, nos primeiros dias de praia), apanhar sol perto da linha de água, aplicar protector solar com um factor elevado, alternar banhos de sol com banhos de água e passear na rebentação das ondas.

Quem se estiver a submeter a um tratamento com laser, deve evitar a exposição solar durante três semanas após a aplicação, pois podem ocorrer pigmentações ou despigmentação da pele.

O ideal é fazer o tratamento durante o Inverno para não haver o risco de complicações devido à exposição solar. De uma forma geral, mais vale prevenir do que remediar. 

Prevenir é a solução

.Facilite a circulação sanguínea com: exercício: andar a pé, de bicicleta, corrida, golfe, natação, caminhar na água ao longo do rio ou do mar.

.Banho: água morna alternada com fria, à noite (ou só os pés).

.Repouso de pernas elevadas: ao fim do dia de trabalho ou após o exercício. Todas estas medidas facilitam o retorno venoso, evitam as varizes, pernas pesadas e as suas complicações.

.Calor nas pernas: evite sol, radiadores, lareiras, braseiras, correntes de ar quente, epilação a quente. Evite usar botas ou meias grossas em locais aquecidos. Evite roupas e sapatos apertados.

.Excesso de peso e comidas fortes: faça uma alimentação rica em fibras (vegetais, couves, saladas, frutas) e beba muita água.Evite bebidas alcoólicas e especiarias (pimenta, etc.).

Agradecimentos: Dr. Heitor Teixeira, Mestre Medicina Cirurgia Laser, Eurocarsil, Lisboa Fotografia e gráficos: Dr. Heitor Teixeira ©

Fotografia: Chanel

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.