Há quem lhes chame sardas persistentes. Aparecem geralmente no dorso das mãos e na face. Os lentigos actínicos "são lesões benignas da pele, que constituem mais um problema cosmético do que médico, sendo reveladores também do passar dos anos, pelo que devem ser tratados sempre e quando se tornem um desconforto psicológico para quem os tem", salienta o dermatologista Miguel Trincheiras.

A tonalidade dos lentigos varia consoante a quantidade e profundidade do pigmento cutâneo, a melanina, tal como sucede com o melasma. Estas lesões benignas da pele aparecem em idades mais ou menos precoces, no rosto, nas mãos e na zona do decote, zonas habitualmente mais expostas ao sol durante o ano, conforme a suscetibilidade individual.

Como tratar

O dermatologista Miguel Trincheiras indica-nos que "os lentigos actínicos são facilmente tratados através do recurso ao laser de Q-switch NdYag, através da aplicação de ácido tricloroacético [TCA] em alta concentração [Only-Touch] ou, ainda, através de técnicas de crioterapia com azoto líquido".

Quando tratar

O tratamento pode ser realizado em qualquer fase de desenvolvimento das lesões pigmentadas, embora seja desejável iniciá-lo o mais precocemente possível. Quanto mais cedo se realizar o diagnóstico, mais rapidamente começa a ser tratado o problema e melhores serão os resultados.

Contraindicações dos tratamentos mais recomendados

Não são conhecidas muitas contraindicações à realização destes tratamentos. "Para além da presença de vitiligo [doença despigmentante que poderá agravar] ou uma pele particularmente sensível, a única limitação a estes tratamentos é exclusivamente financeira", refere o dermatologista.

O número de sessões indicado

Pode ser variável, entre uma a cerca de três sessões com qualquer uma destas técnicas, "sendo que o laser é, provavelmente, a técnica que permite obter resultados mais rapidamente", esclarece Miguel Trincheiras.

Cuidados a ter

Durante o tratamento com laser é sempre necessária uma proteção ocular. "O pós-tratamento, em relação a qualquer uma das técnicas, deve ser feito através da aplicação de um creme reparador cutâneo e de um protetor solar, no sentido de evitar uma hiperpigmentação reacional", alerta Miguel Trincheiras.

Os resultados que habitualmente se obtêm

Os tratamentos descritos podem ser esperados ótimos resultados, contribuindo para o desaparecimento total das manchas pigmentadas.

Texto: Rita Caetano com Miguel Trincheiras (dermatologista)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.