Um artigo recentemente publicado no jornal El Mundo despertou a atenção.

De acordo com o diário espanhol, uma nova toxina botulínica tipo A, substância utilizada para o rejuvenesci­mento do rosto, poderá estar prestes a ser lançada com um preço mais acessível do que o produto já existente no mercado.

As mais-valias ou des­vantagens deste tratamento anti-rugas? Fernan­do Guerra, dermatologista, esclarece-nos.

A marca líder

A toxina botulínica tipo A é utilizada em meio hospitalar para uso neurológico e oftalmológico e em meio
cosmé­tico, para corrigir as rugas do terço superior do rosto. O nome da substância confunde-se, por vezes, com o da marca de referência no mer­cado, Botox, comercializada pela Allergan.

«Em Portugal, Botox é utilizado tanto em meio cosmético como hospitalar mas, no resto da Europa, Allergan criou uma segunda marca, Vistabel, para diferenciar o produto vendido no meio hospitalar (Botox) do do meio cosmético (Vistabel)», explica Fernando Guerra.

O concorrente

A toxina botulínica tipo A é também comercializada na Europa, nomeada­mente em Portugal, Espanha e França, por uma empresa concorrente da Allergan, a Ipsen, sob o nome comercial Dysport. «Esta existe desde 1990 e não é mais do que uma toxina botulínica A como o Botox, apenas molecularmente dife­rente», refere o dermatologista.

Recentemente, a Ipsen criou uma segunda marca, Reloxin, para, tal como fez a Allergan, distinguir o produto
uti­lizado em meio hospitalar do distribuído para uso cosmético. Este produto está a ser analisado pela Food and Drug Administration (FDA), entidade que regula os medicamentos, cosméticos e alimentos comercializados nos Estados Unidos.

O factor preço

Até agora, a toxina botu­línica da Allergan é a única aprovada pelo FDA. «Calculo que Dysport tenha orientado as suas vendas mais para o meio hospitalar», refere o dermatologista. Segundo o jornal El Mundo, a grande promessa de Reloxin é a de vir a ter um preço inferior ao do Botox.

Em relação aos pro­dutos existentes, Dysport apresenta um preço por unidade inferior a Botox, no entanto, «são necessárias 500 unidades de Dysport para obter o mesmo efeito de 125 unidades de Botox, pelo que, o preço final do tratamento (cerca de 300 euros na face superior), pouco difere entre as marcas», diz. Quanto ao resultado, «é coinciden­te assim como a duração do relaxamento mus­cular (entre quatro a seis meses)», conclui o especialista.

Texto: Vanda Oliveira com Fernando Guerra (dermatologista)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.