Se sempre pensou que a acne é uma doença própria da adolescência, então estava enganada. Apesar de ser uma das principais causas que leva os jovens aos consultórios de dermatologia, a acne pode surgir também depois dos 20 anos. É a chamada acne tardia que tem especial incidência no sexo feminino, afetando a pele, mas surtindo também um impacto emocional que deve ser gerido, de forma a evitar efeitos negativos graves, como é o caso da depressão.

Para que possa escapar a este quadro ou preparar-se melhor para o enfrentar, entrevistámos António Massa, dermatologista, que também nos respondeu enquanto membro do PAAB - Portuguese Acne Advisory Board, constituído por um grupo de dermatologistas portugueses que definiu linhas de orientação para o tratamento da acne, elaboradas de acordo com o contexto internacional, para homogeneizar as estratégias terapêuticas em Portugal e no mundo.

O que é a acne?

É um processo inflamatório crónico da glândula sebácea em que há uma produção aumentada de hormonas conhecidas como androgénios. Dá-se um aumento simultâneo da produção de sebo e a redução do diâmetro por onde este sebo sai para a pele, complicando-se com a infeção. Isto é visível graças às pústulas, mais conhecidas como espinhas.

O que caracteriza esta doença?

Resultante das alterações que referi, há o aparecimento de pontos negros e pontos brancos (sendo os primeiros mais superficiais), espinhas, borbulhas, caroços e ainda quistos que podem resultar em cicatrizes ou marcas. Localizam-se preferencialmente na face, tronco, podendo aparecer no terço superior dos braços, pescoço e abdómen.

Quais as diferenças entre a acne que ocorre na adolescência e a acne tardia?

Na acne mais tardia, a localização é predominantemente no terço inferior da face e pescoço. Há também uma relação mais marcada de agravamento com a aproximação do período menstrual.

Por que razão afeta mais as mulheres?

Provavelmente está relacionado com as flutuações hormonais femininas.

O uso de certos cosméticos, a poluição ou a pílula interferem na acne?

Pensa-se que o estilo de vida não interfere, podendo no entanto o uso de cosméticos comedogénicos (com óleos) serem razão potencial de agravamento. Com a poluição não é conhecida qualquer relação. A pílula, regra geral, melhora a situação sabendo-se hoje que as acnes são mais reduzidas, em frequência e intensidade, desde que as doentes iniciam a sua toma.

Que tratamentos existem para a acne tardia?

Os tratamentos tópicos, de forma geral, são semelhantes aos que se utilizam na acne juvenil, bem como a medicação oral. Como continuidade poderemos recorrer a medicamentos ditos antiandrogénicos.

Veja na página seguinte: Como se processam estes tratamentos

Em que consistem esses tratamentos?

São tratamentos orais de longa duração (meses ou anos) que contrariam o efeito dos androgénios(hormonas masculinizantes). Os androgénios, particularmente na acne tardia, são um factor patogénico importante. Como exemplo de medicamentos antiandrogénicos cito o acetato de ciproterona que faz parte de alguns tipos de pílula.

O tratamento demora quantos meses?

A duração é variável. Depende do tipo de lesões, da sua intensidade e da evolução da própria acne, que dura em média dez anos. O paciente deve saber que pode ter crises, ou seja, estando controlado com terapêutica local pode haver agravamento, o que implica alterações na terapêutica. O objetivo do dermatologista é controlar a patologia.

Ao paciente cabe a tarefa de manter a aplicação de cremes até estar há pelo menos seis meses sem que apareçam lesões. O tratamento tópico deve permanecer de seis a 12 meses para além do controle da afeção.

Quais os resultados dos tratamentos?

Os resultados são excelentes, meses após iniciar o tratamento. A manutenção da terapêutica é importante para o êxito.

Esses tratamentos implicam riscos?

Na nossa experiência, com esta patologia, não temos encontrado riscos. Há, por vezes, descamação ou irritação da face por exagero na utilização dos tratamentos tópicos.

Os tratamentos através de peelings e laser são frequentes?

Os peelings e a utilização de luzes ou laser são tratamentos que se fazem de forma relativamente esporádica e com indicações muito específicas. Quando, obtido o controle da acne através do tratamento local, ou local e oral, persistem cicatrizes deprimidas (atróficas) ou elevadas. Recorremos pouco a esse tipo de técnicas pois, com os tratamentos tópicos, conseguimos resolver a grande maioria das situações.

O que fazer se a sua pele é alvo da acne:

- Lave o rosto todas as manhãs apenas com água

- À noite, lave a face com água e sabonete ou opte por uma fórmula de limpeza

- Nunca esprema os pontos brancos e negros, de forma a diminuir o risco de cicatrizes

- Utilize produtos dermatológicos suaves, sem álcool e não comedogénicos, que não provoquem acne

- Evite a exposição solar em excesso, bem como ao vento ou o frio

Texto: Mariana Correia de Barros

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.