Já chegou uma nova estação do ano e com ela a vontade de renovarmos o visual. Os cabelos agredidos pelo sol, pela água do mar e pelo cloro da piscina precisam de um tratamento geral e uma ida ao cabeleireiro pode fazer toda a diferença na sua imagem. No entanto, adquirir um novo corte, penteado e coloração, mais alguns extras de tratamento que lhe possam ser sugeridos pode custar-lhe caro.

Felizmente, existem pequenos truques que pode aplicar em casa e que ajudam a diminuir a fatura do salão (ainda que, em alguns casos, sem os resultados perfeitos obtidos por um profissional) e a prolongar o efeito destes cuidados de beleza. Com a ajuda de Marco Pinheiro, cabeleireiro, desvendamos alguns. Veja também a galeria de imagens que lhe revela os oito segredos para ter um cabelo comprido e lindo.

Coloração

O crescimento da raiz é um processo natural que não pode ser travado, mas há cuidados que pode ter, como explica Marco Pinheiro. Existem, essencialmente, dois tipos de coloração, «a tinta com oxidação (30 €) em que o crescimento da raiz se nota muito rapidamente ao fim de 15 dias e o gloss, o chamado tom sobre tom (20 €), que exige menos manutenção, podendo durar pelo menos um mês».

Ao optar pela coloração tom sobre tom vai menos vezes ao cabeleireiro e paga menos em cada visita, poupando, em média, cerca de 40 € por mês, o que perfaz 480 € por ano. Interessante, não?

Preservar a cor

A coloração é um investimento e, portanto, há que rentabilizá-lo. Evite lavar demasiado o cabelo e utilize um champô específico para cabelo pintado cuja fórmula, mais suave, «ajuda a preservar a cor e o reflexo durante mais tempo», sublinha o especialista. A utilização de um champô que protege a cor do seu cabelo «permite aumentar os intervalos entre colorações de um mês para um mês e meio», assegura o cabeleireiro.

Fará oito colorações por ano, em vez de 12, poupando cerca de 80 € por ano. Os trabalhos mais simples, que não impliquem madeixas nem mudanças drásticas de cor, como pintar o cabelo de um só tom, próximo do seu ou cobrir os brancos podem ser feitos em casa. Siga à risca as instruções de uso do produto, não se esquecendo de o testar previamente contra eventuais alergias.

Os produtos de coloração em casa custam cerca de 10 €, pelo menos, metade do valor cobrado por um serviço de coloração no salão, levando a uma poupança de 80 € por ano. Poupará apenas metade se optar por intercalar os trabalhos de coloração no salão com colorações em casa.

Corte

Para gastar menos dinheiro em produtos de styling, é aconselhável cortar o cabelo a cada dois/três meses. Existem ainda estratégias para poupar no cabeleireiro sem prejudicar a imagem. «O cabelo comprido é o que exige menos manutenção. O corte não perde tão rapidamente a forma e é mais prático. Se num cabelo curto é necessário renovar o corte de dois em dois meses, num cabelo comprido o intervalo entre cortes passa para o dobro», realça o especialista.

Se cortar o cabelo em intervalos de quatro meses, em vez de dois, por cerca de 15 € o corte, poupará 45 € por ano. Se recorrer a um profissional, consoante o tipo de salão poderá pagar por um corte cerca de 10 € (salão de bairro), 20 € (cadeia de cabeleireiros), 30 € a 40 € (cabeleireiros de topo). No entanto, em alguns salões os preços podem variar consoante o profissional, seja um aprendiz, júnior ou sénior, podendo chegar aos 50 € (ou até mais) por corte.

Tendo isto em conta, pode gerir o valor que quer gastar de várias maneiras, nomeadamente, intercalando visitas a salões ou profissionais mais caros com outros mais baratos para manutenção do corte. Sabendo que um corte pode custar, em média, entre 10 € e 30 €, se alternar entre um mais barato e outro mais caro, poupará, pelo menos, 80 € por ano.

Veja na página seguinte: Como poupar... com a franja!

Faça você mesma

A maioria dos salões de cabeleireiro não cobra por cortar a franja. No entanto, se não é o caso do seu ou se, por vergonha, acaba por pedir um corte geral considere aparar a franja em casa. «Quem corta a franja em casa acaba por acertá-la a cada 15 dias. Não o aconselho a quem não tenha jeito para cortar cabelo e recomendo que o faça com uma tesoura específica para o efeito», refere, contudo, Marco Pinheiro.

Tendo em conta que o corte pode custar-lhe 5 € e que nas lojas de revenda de produtos de cabeleireiro uma tesoura custa cerca de 30 €, em seis utilizações paga o investimento e depois é só poupar. Consegue aqui uma poupança de 60 € por ano. Já viu bem?

Escolas de cabeleireiro

Informe-se na sua área de residência acerca de escolas de cabeleireiros com atendimento ao público que, por um preço inferior, disponibilizam serviços realizados por alunos, com a supervisão de formadores. A Academia Lúcia Piloto é uma delas e oferece este serviço a partir de um valor que rondsa os 8 € (mediante inscrição prévia). Tendo em conta que em cada ida ao cabeleireiro gasta cerca de 18 €, se recorrer a este serviço, quatro vezes por ano, poupará 40 €.

Penteados mais baratos

Um brushing bem trabalhado pode manter-se irrepreensível durante três dias. Marco Pinheiro diz-lhe como. Primeiro, é essencial conseguir a hidratação certa. «Se o cabelo é seco aplique o condicionador em todo o cabelo ou só nas pontas se a raiz for de tendência oleosa», explica.

«Neste caso, os condicionadores em spray (sem passar por água) são ótimos pois hidratam as pontas sem acrescentar gordura», refere ainda o especialista. «Para contrariar a oleosidade, aplique na raiz uma máscara de argila e evite lavar o cabelo com água muito quente», sublinha ainda. Estes gestos não se traduzem em poupança automática mas permitem que o penteado dure muito mais tempo.

Pentear em casa

Em casa, tanto o uso da placa alisadora como do modelador, garantem um resultado rápido e duradouro. Para um efeito perfeito com o ferro de alisar seque e penteie muito bem o cabelo antes. «Quer utilize a placa ou o secador com a escova utilize sempre um spray protetor térmico», refere Marco Pinheiro. Uma máquina modeladora de cabelo custa cerca de 35 €. O brushing no salão cerca de 10 €.

Ao fim de quatro utilizações, a máquina já está paga e pode obter um brushing a custo zero. Se vai uma vez por mês ao cabeleireiro, ao fim de um ano poupará 120 €. Não vale a pena? Pense nisso!

Não se deixe persuadir

Aprenda a fintar os profissionais que lhe querem impingir produtos e serviços e diga não aos extras. «Se a cliente disser que sim a tudo pode sair do salão com uma conta de 60 € quando podia pagar apenas 30 €», afirma Marco Pinheiro, acrescentando que, «se o cabelo estiver hidratado, pode prescindir do uso de creme amaciador».

«A espuma para volume também pode não ser necessária», alerta ainda. Por cada aplicação, seja de condicionador, espuma de volume ou spray protetor térmico, poderá pagar entre 2,50 € a 5 €. Se for uma vez por mês ao cabeleireiro e prescindir de dois destes itens poupa, pelo menos, 60 € por ano.

Veja na página seguinte: Outras dicas de poupança

Outras dicas de poupança

A utilização regrada dos produtos de cabeleireiro podem permitir-lhe uma poupança de 50% sobre o preço dos produtos:

- Champô

Basta uma porção do tamanho de uma noz (ou menos se tem o cabelo curto). Não é necessário repetir.

- Condicionador

Se o seu cabelo é oleoso, poderá nem precisar deste produto. Se é seco, aplique no comprimento e pontas uma dose equivalente a uma avelã.

- Lavagem

Se o seu cabelo não é oleoso, não precisa de o lavar diariamente. Basta fazê-lo dia sim dia não. Evite mexer-lhe com os dedos, pois torna-o oleoso, e prendê-lo com elástico, pois retira-lhe volume.

- Volume natural

Seque o cabelo de cabeça para baixo e alterne o ar quente com frio para lhe dar volume sem ter ter de usar um produto específico para o efeito.

Texto: Vanda Oliveira com Marco Pinheiro (cabeleireiro)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.