Talvez devido à saga do filme, alguns desejos mais escondidos vieram à tona e a procura de sex toys mais identificados com a prática sado-maso vieram ao de cima. Não obstante, há também uma crescente vontade de espicaçar o sexo e tirá-lo da rotina diária.

Antes de se debruçar sobre os tipos de chicote existentes, é necessário esclarecer algumas dúvidas. Sim, porque muitas das vezes a tendência é negar-se uma ciência que se desconhece. Assim sendo, torna-se fundamental saber um pouco mais para dissipar alguma dúvida.

Contrariamente ao que se pensa, um chicote faz mais barulho do que magoa – a maioria deles, pelo menos (chicotes curtos com muitas tiras, por exemplo). O mesmo serve para criar um clima de dominação e o estímulo da chicotada aumenta a circulação na pele, deixando esta muito mais quente e sensível ao toque. Quando a brincadeira existe de forma segura, o ideal é que se escolham áreas como os ombros, coxas ou rabo, ou seja, mais revestidas por músculos. A chicotada deve ser feita de forma leve e ir aumentando, caso seja essa a escolha do parceiro. Escolher uma palavra de segurança é sempre uma boa opção para limitar e dosear a intensidade. Aliás, o bom do uso do chicote é esse mesmo... cria um clima sexual bem forte e pode ser usado de forma leve, moderada e forte.

Um chicote não é feito para rapidinhas, claro está! Inclusive, o seu uso é bem variado e por isso é conveniente que seja utilizado num ambiente seguro e confortável. Imagine que lhe colocam uma venda, que acariciam o seu corpo com as tiras do chicote enquanto intercalam com beijos e lambidelas nas zonas erógenas? Ou que estimula a vagina com as fitas ou com o cabo? Enfim... o uso e a intensidade vão variar conforme os gostos do casal. O que é importante é que se use de forma controlada por ambos e que não se esqueçam de higienizar o brinquedo.

Agora que já sabe que um chicote não é nada de outro mundo, acrescente o seu preferido à lista de compras.

Chicote Flogger: cabo curto e diversas fitas. Costuma ser o mais vendido nas sex shops.

Chicote de montar: longa haste com cabo e a ponta por norma tem um pedaço de couro. É uma das ferramentas padrão em práticas BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo).

Chicote rabo de gato: entrançados e muitas das vezes com nós nas pontas, sendo o hardcore de práticas BDSM.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.