É um fenómeno novo que começa a preocupar os educadores. Há cada vez mais crianças de quatro anos que chegam ao ensino pré-escolar sem conseguirem ir à casa de banho sozinhas. O alerta foi dado pela inspetora geral da educação britânica, Amanda Spielman, que citou um estudo recente para revelar que 70% dos infantários admite estar a receber miúdos incapazes de suprir as suas necessidades básicas de higiene.

Esta tendência, sublinhou, afeta prejudicialmente o trabalho dos professores e compromete o desempenho escolar das crianças.

Em declarações ao jornal The Independent, Spielman referiu que estes miúdos têm um vocabulário mais pobre do que o normal e revelam grandes dificuldades em vestir-se ou calçar-se sem ajuda. “Com quatro anos, possuem menos de um terço do vocabulário dos colegas; chegam à escola sem dominar várias palavras determinantes para uma comunicação eficaz com professores e parceiros. Será que os pais não percebem que estão a contribuir para que os filhos comecem a vida em desvantagem?”, interroga-se a especialista em educação.

Amanda Spielman diz que os infantários não podem ser pais de substituição e defende-se de quem a acusa de excesso de exigência: “Não, eu não acho que as crianças devam chegar à escola e comportar-se como mini-adultos que vão sempre sozinhos à casa de banho sem fazer asneiras”. Mas também não considera normal que esse trabalho esteja a ser completamente descurado pela família: “A educação é um trabalho conjunto entre a escola e os pais, e cabe, antes de mais, aos pais estabelecerem rotinas simples como as do sono e as da higiene”.

Spielman diz que todas crianças devem chegar ao ensino infantil capazes de realizar tarefas tão simples como “usar um lápis, dar um pontapé numa bola, calçar os sapatos e tirar o casaco”. Pretende ainda que compreendam as palavras “não” e “chega” e que consigam acompanhar uma história infantil sem fazer birras.

Outro problema detetado pelas escolas tem a ver com a aparente estranheza com que os miúdos encaram o velho hábito de ouvir uma história; a maioria não aguenta esta atividade durante muito tempo.

Entretanto, tome nota destes conselhos bastante úteis.

Ensine o seu filho a ir à casa-de-banho em 7 passos

A revista Healthy Today fornece algumas regras para ajudar o seu filho a criar hábitos de higiene a partir dos três anos.

  1. Promova as idas ao WC
    As crianças querem sentir-se crescidas e adoram imitar os adultos. Apoie os seus gestos de autonomia, dizendo-lhe que agora que já é crescido, pode usar a casa-de-banho como a mãe e o pai ou os irmãos. No infantário, peça para o deixarem ir ao WC sozinho.
  2. Compre a roupa interior de que ele gosta
    Leve-o a comprar cuecas dos seus super-heróis e associe esse tipo de comportamento ao uso da casa-de-banho. Explique que os meninos crescidos usam roupa interior especial, ao contrário dos bebés que têm de andar de fralda.
  3. Crie alguns incentivos
    Valorize os esforços da criança. Arranje pequenos truques para que ambos vão monitorizando o seu desempenho: desenhem um calendário e coloque um ‘smile’ nos dias em que ele usa a casa-de-banho ou ofereça-lhe uma história extra antes de dormir quando chegar da escola seco.
  4. Não force a qualquer custo
    Se a criança recusa ir à casa de banho com a mesma obstinação com que faz birra para tomar banho ou ir para a cama, então é porque está a testar os seus limites. Fuja dessa luta pelo poder – “ele vai ganhar, é o corpo dele”.
  5. Passe a responsabilidade para ele
    Em vez de passar o tempo a perguntar se ele quer ir à casa-de-banho, explique-lhe que já tem idade suficiente para avisar quando quer fazer xixi. Evite ir com ele para o WC e ficar à espera. Isso só aumenta a pressão.
  6. Mantenha a calma
    Os acidentes acontecem. Tente não reagir exageradamente, pois isso aumentará a ansiedade da criança com as idas à casa de banho.
  7. Poupe-se sff
    Enquanto ele vai aprendendo a ser autónomo, torne a casa-de-banho um local neutro – retire aquele tapete que adora e ponha toalhas velhas junto da retrete.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.