O dia-a-dia atarefado da maior parte das crianças, recheado de tarefas escolares, atividades e eventos sociais, inevitavelmente aumenta a curiosidade dos pais que gostam de se sentir envolvidos na vida dos filhos. Além da mera curiosidade, a ideia de que a criança poderá estar a precisar de ajuda, não só aguça essa vontade de saber, como poderá provocar alguma ansiedade nos pais. O que ocorre muitas vezes é que, ainda que sem intenção, os pais exagerem na tentativa de obter informações e em vez de se aproximarem da criança e criarem um espaço de partilha acabam por fazer com que a criança se retraia.

Neste sentido, emerge a questão "De que forma posso criar ou proporcionar no meu filho a vontade de falar sem que a sinta como uma obrigação?"

De um modo geral, todos estão de acordo quanto ao facto da pergunta "como correu o teu dia?" dificilmente levar a criança a responder mais do que um simples "correu bem". Logo, a forma como se aborda a criança e o tipo de pergunta que lhe é colocada poderá fazer toda a diferença.

Este texto, surge exatamente com o intuito de sugerir e apresentar algumas perguntas alternativas à comum questão "como correu o teu dia?". Procurando, por um lado, evitar a frustração por parte dos pais que sentem que não conseguem chegar até aos seus filhos e, por outro, evitar que a criança ou jovem, sinta que está a ser alvo de um interrogatório.

Deste modo, antes de serem apresentadas algumas sugestões de perguntas, são sugeridas algumas abordagens possíveis para iniciar a conversa com o seu filho e que podem considerar-se menos evasivas.

Assim, antes de mais, evite assoberbar o seu filho de perguntas assim que o vê, poderá estar cansado ou não lhe apetecer conversar imediatamente sobre o seu dia, por isso, pode ser importante dar-lhe algum tempo. Caso já tenha começado a conversa e perceber que a criança não se está a envolver o suficiente tente mais tarde. Pode estar apenas a iniciar conversa no tempo errado e neste caso vale mais fazer uma pausa e tentar noutra altura.

Outra possibilidade será fazer perguntas abertas, pois deste modo é mais provável que obtenha informações mais completas, promovendo histórias mais longas e explicações mais descritivas. Caso opte por perguntas fechadas, experimente dirigi-las para outros que não o seu filho, como por exemplo  "Quem é o colega da tua sala que tu achas mais divertido?" ou "Conheces alguém da tua sala que tenha um animal de estimação?" ou, para os professores, neste caso poderão ser exemplo as questões "Qual dos teus professores admiras mais e porquê?" ou "O que gostarias de poder dizer ao teu professor?".

Posto isto, é importante respeitar os timings da criança e procurar que esta partilha não seja forçada nem sentida como uma obrigação por parte do seu filho. Lembramos também que é fundamental ter em consideração a idade da criança, pois as questões e abordagens deverão ser sempre adaptadas à mesma.

Algumas sugestões de perguntas alternativas à questão "Como correu o teu dia?"

- Do que gostaste mais no teu dia?

- Hoje aconteceu alguma coisa que te tenha feito sentir mal?

- O que comeste ao almoço?

- Apanhaste alguém a fazer alguma coisa engraça?

- Que brincadeiras fizeste no intervalo?

- A que jogaste durante o recreio?

- Qual foi a coisa mais engraçada que aconteceu hoje?

- Alguém fez alguma coisa simpática por ti?

- Qual foi a coisa mais simpática que fizeste por alguém?

- Quem é que hoje te fez sorrir?

- Qual foi a coisa mais interessante que aprendeste hoje?

- Quem levou o melhor lanche? O que era?

- O que te desafiou hoje?

- Como classificarias o teu dia numa escala de 1 a 10? Porquê?

- Se um dos teus colegas pudesse ser o professor por um dia quem gostarias que fosse? Porquê?

- Qual é a regra mais importante para o teu professor?

- Qual a coisa mais popular que há para fazer no recreio?

- Conta-me uma coisa que tenhas aprendido hoje sobre um colega.

- Qual foi a disciplina que hoje gostaste mais de estudar? Porquê?

- Qual foi o momento do dia em que te sentiste mais orgulhoso de ti?

- Qual foi a regra mais difícil de cumprir hoje?

- Este ano o que gostarias de aprender antes da escola terminar?

- Qual a pessoa da tua turma que é completamente diferente de ti?

- Que sítio da tua escola é o mais divertido?

- Alguém na tua sala tem dificuldade em cumprir as regras?

- Hoje fizeste algum amigo novo? Como se chama? O que gostaste mais nele?

- Há alguma coisa em que gostasses de ter ajuda?

- Se pudesses ser outra pessoa durante a semana quem escolherias ser? Porquê?

- Hoje estás agradecido pelo quê?

- Há alguma coisa que tenha acontecido hoje que gostarias de ter feito de maneira diferente?

- O que mudarias na escola?

- Com quem da tua escola gostavas de fazer amizade?

- O que faz de alguém um bom amigo?

- No que reparaste hoje que a maioria das pessoas não reparou?

- Preciso de uma gargalhada. Conta-me alguma coisa engraçada que tenha acontecido.

- Ao almoço sentaste-te perto de quem?

- O que te fez sentir feliz hoje?

- O que te fez sentir triste hoje?

- Aprendeste alguma coisa que ainda não soubesses?

- Hoje foste surpreendido por alguma coisa?

- O que fizeste hoje na escola que realmente te deu prazer?

- O que aconteceu durante o almoço de hoje?

- Passaste por algum momento embaraçoso?

- Sentiste-te confortável na sala de aula?

- O teu professor fez-te alguns elogios?

- O teu professor faz-te lembrar alguém que conheces? De que forma?

- Se amanhã tivesses a oportunidade de ser o professor o que ensinarias à turma?

- Alguém te provocou hoje na escola? De que modo?

- Diz-me uma coisa útil que tenhas feito hoje?

- Hoje na escola sentiste-te preocupado em algum momento?

Sugerimos ainda uma atividade relacionada com as questões acima indicadas e na qual pode envolver toda a família. Assim, e caso considere que o seu filho adere bem a este tipo de propostas, escreva as diferentes perguntas em papéis separados que posteriormente devem ser dobrados e colocados numa caixa.

A ideia é a família escolher um momento do dia em que se reúne e em que cada elemento tira um papel e desse modo, um de cada vez, responda a uma das questões colocadas na caixa. Aqui sugere-se que os pais adeqúem a pergunta que lhes calhar à sua realidade profissional. Tal regra, faz com que a criança não se sinta o alvo da atividade/conversa e torna-a um momento de partilha entre todos.

Além disso, o facto de os pais darem respostas, serve de modelo o que no caso de crianças que apresentem dificuldades em expressar o que sentem e em evocar acontecimentos anteriormente vividos poderá ser especialmente benéfico.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.