“Quem conhece as regras de transferência do património do Estado sabe que não há cedências não onerosas”, afirmou Diogo Mateus, adiantando que o “município tem usado esta escola graciosamente”, na qual tem realizado investimentos.

Segundo o presidente da câmara, o ano passado a autarquia realizou obras de cerca de cem mil euros em pintura, exterior e interior, cobertura, impermeabilização, sanitários e janelas, destacando que esta aquisição “vai permitir resolver o problema do número de salas de aula para o 1.º ciclo poder funcionar na sede do concelho com 12 salas”, distribuídas por dois polos educativos.

“Ficamos com um espaço bastante amplo, com cozinha, cantina, pavilhão desportivo e recreio, no centro da cidade, com transportes públicos e zona de estacionamento, sem haver acréscimo de despesas”, referiu.

O imóvel, situado no centro de Pombal, tem uma área de 2.600 metros quadrados e Diogo Mateus admitiu que poderá ter, no futuro, “capacidade para outras valências”.

Adiantando que o município necessita deste espaço “para dar a mesma qualidade que tem garantido nos centros escolares do concelho”, Diogo Mateus esclareceu que, assim que for concluído o centro escolar da cidade de Pombal, avançar-se-á para melhorar a escola Conde de Castelo Melhor, onde funcionou no passado um colégio privado e, depois, a escola preparatória.

Em agosto, a Câmara de Pombal, no distrito de Leiria, lançou o concurso público para a construção do centro escolar da sede do concelho, obra de 2,6 milhões de euros com um prazo de execução de 18 meses.

À agência Lusa, o vereador com o pelouro da Gestão de Obras Públicas, Pedro Murtinho, adiantou então que o centro escolar vai agregar, embora em edifícios autónomos, o jardim-de-infância e escola do 1.º ciclo de Pombal, no mesmo local onde hoje se encontram.

No caso do jardim-de-infância, o atual edifício vai ser demolido para dar lugar a um novo, enquanto o da escola vai ser objeto de remodelação e ampliação.

“Este é um dos centros escolares mais prioritários do concelho atendendo às condições muito deficientes e precárias que os atuais espaços oferecem às crianças”, afirmou na ocasião Pedro Murtinho, acrescentando que o centro deverá entrar em funcionamento em 2017/2018.

Face a esta situação, desde setembro e até à conclusão das obras, as crianças do pré-escolar estão na Filarmónica Artística Pombalense, enquanto os alunos do 1.º ciclo estão distribuídos pela escola básica 2,3 Marquês de Pombal e a antiga escola Conde de Castelo Melhor.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.