O que é que as crianças devem petiscar nas férias?

Os pais devem ter sempre fruta fresca, legumes preparados como palitos de cenoura e pepino, oleaginosas (nozes, amêndoas), iogurtes não adoçados e pão de mistura disponíveis para pequenos snacks.

Os snacks açucarados são permitidos?

As crianças devem evitar o consumo regular de doces, de bolachas doces, iogurtes especiais para criança, com quantidades exageradas de açúcar, snacks embalados e fritos como batatas fritas. A despensa em casa deve estar limpa de produtos pouco naturais, embalados ou muito manipulados, de guloseimas e de refrigerantes.

Quais os mitos mais enraizados na cabeça dos pais?

Os pais acreditam que as proteínas devem ser oferecidas em doses reforçadas às crianças e que o seu consumo deve ser sempre estimulado em detrimento das fontes de hidratos de carbono quando as crianças não têm apetite. Quantas vezes já ouvimos ou dissemos: "come pelo menos a carne". A associação entre o consumo excessivo de proteína na infância e a obesidade na idade adulta está mais do que estabelecida na comunidade científica.

Carla Rodrigues Ferreira

Outro mito é que as crianças devem comer tudo o que está no prato, mesmo que digam que não têm "fome". É importante saber que as crianças durante a infância têm naturalmente capacidade de gerir a ingestão calórica em função das suas necessidades e que a velocidade de crescimento não é regular. Sempre que a criança está em fase de crescimento mais acelerado, as suas necessidades energéticas aumentam e o apetite também, mas quando o crescimento abranda, reflete-se no apetite e este diminuiu.

Não se deve obrigar a criança a comer, o que se deve fazer é garantir que as rotinas se mantêm, que os horários das refeições não são alterados, e que as crianças não petiscam antes das refeições, para que isso não influencie o apetite à hora da refeição.

Porque é tão difícil que as crianças bebam água mesmo no verão?

A água não tem sabor, não é apelativa, e se a criança não for habituada desde pequena a beber água, será mais complicado educá-la para uma boa hidratação. O organismo de uma criança tem necessidades acrescidas de água para o seu bom funcionamento, para trocas celulares, para o bom trabalho mental, muscular, para regular a temperatura corporal, entre outros… Durante a infância as crianças estão mais suscetíveis a desencadear desidratação, quer pela maior área de superfície corporal, quer pelos episódios de vómitos e/ou diarreias que as afetam em idades muito pequenas e também porque nos primeiros meses de vida as crianças não conseguem manifestar sensação de sede.

Não nos podemos esquecer que alimentos frescos como fruta e legumes têm boas concentrações de água, que a sopa é uma excelente fonte de água e que a água deve ser oferecida às crianças desde o início da diversificação alimentar, mas se uma criança mais crescida não "gostar" de beber água simples, podemos sempre adicionar rodelas de fruta como laranja ou limão e nunca açúcar.

Exemplos de receitas em família pela nutricionista Carla Rodrigues Ferreira

Pequeno-almoço em família: Fruta da época, 1 iogurte natural e 1 pão de mistura ou escuro com 1 fatia de queijo meio gordo ou de queijo fresco;

Almoço em família: Começar a refeição com um bom prato de sopa de legumes (com leguminosas como feijão, grão, lentilhas, ervilhas), um prato com metade da sua capacidade de legumes crus ou cozinhados, 1/4 do prato com arroz, massa ou batata e um pouco menos de 1/4 do prato com peixe ou carne (sem gorduras visíveis). Para confecionar, deve preferir-se os cozidos, assados com pouco gordura, estufados, caldeiradas. Terminar a refeição com uma dose de fruta. Para acompanhar a refeição, água. O tamanho do prato da criança deve ser ajustado ao seu tamanho e às suas necessidades.

Lanches em família: Durante os meses de pimavera/verão os passeios em família são muito frequentes e com o bom tempo apetece fazer programas na rua, no jardim, no parque, na praia… Podemos e devemos levar as nossas refeições preparadas de casa, para não cedermos às tentações de petiscos menos saudáveis.

O que levar nas lancheiras: Fruta fresca já lavada e preparada; saladas (com os temperos à parte, evitando ovo que é mais perecível); sanduíches com pão de mistura (evitar pão de forma) ou wraps de trigo integrais com vegetais; água simples ou aromatizada (evitar refrigerantes ou sumos açucarados).

As recomendações são de Carla Rodrigues Ferreira, nutricionista e diretora da clínica Makai.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.