O anúncio foi feito pela própria autora, através do Twitter, que revelou a intenção de proporcionar às crianças, forçadas a permanecer em casa devido à pandemia de COVID-19, a possibilidade de lerem a história antecipadamente à sua publicação em novembro.

J.K. Rowling tratou logo de esclarecer que este conto de fadas “sobre a verdade e o abuso de poder", que esteve guardado vários anos no seu sótão, não tem ligação ao universo de Harry Potter.

“The Ickabog” passa-se numa terra imaginária sem relação com qualquer outra obra de Rowling e será disponibilizado em série ‘online’, a partir de hoje, em 34 episódios gratuitos, sendo o último publicado a 10 de julho, segundo o anúncio feito pela autora no Twitter.

Posteriormente, será publicado como livro, ‘ebook’ e audiolivro, e as 'royalties' revertem para projetos de assistência a grupos atingidos pela pandemia.

A história começou a ser escrita há mais de dez anos, pelo que não deve “ser lida como uma resposta a nada do que está a acontecer no mundo neste momento", esclareceu.

A romancista disse ainda que “The Ickabog” foi escrito com várias interrupções e recomeços, entre os livros de Harry Potter, e que inicialmente planeou publicá-lo após o último livro da série, “Harry Potter e os Talismãs da Morte”.

Em vez disso, passou a escrever romances para adultos, incluindo “The Casual Vacancy” e “The Cuckoo's Calling”, sob o pseudónimo Robert Galbraith.

J.K. Rowling disse que decidiu "afastar-se dos livros infantis por um tempo" e que manteve o primeiro rascunho de “The Ickabog” guardado no seu sótão.

“Com o tempo, vim a pensar nesta como uma história que pertencia aos meus dois filhos mais novos, porque a tinha lido para eles à noite, quando eram pequenos, o que sempre foi uma feliz recordação de família", contou.

No entanto, há algumas semanas, teve a ideia de publicar a história gratuitamente para as crianças em confinamento.

A autora, que recuperou então os manuscritos e começou a reescrever algumas partes, conta que os seus filhos adolescentes "estavam emocionalmente entusiasmados” e que ela tem estado “imersa num mundo fictício em que pensava nunca mais voltar a entrar".

"Enquanto trabalhava para terminar o livro, comecei a ler capítulos à noite para a família novamente. Esta foi uma das experiências mais extraordinárias da minha vida de escrita, pois os dois primeiros leitores de ‘The Ickabog’ disseram-me do que se lembravam quando eram pequeninos e exigiram a reposição de pedaços de que gostavam particularmente (eu obedeci)", escreveu a autora no seu ‘site’.

J.K. Rowling está também a pedir às crianças que enviem ilustrações para cada capítulo. As melhores ilustrações serão incluídas nas edições impressas da história.

"Quero ver a imaginação a correr solta! Criatividade, inventividade e esforço são as coisas mais importantes: não estamos necessariamente à procura de habilidade e técnica”, escreveu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.