O alargamento da escola a tempo inteiro - que já existe no 1.º ciclo - até aos 15 anos é uma medida que os pais, diretores de escolas e especialistas em educação aplaudem, segundo escreve a edição impressa desta quarta-feira do Diário de Notícias.

A medida consta do programa de governo do PS e das Grandes Opções do Plano para a legislatura de 2016-2019.

O alargamento das horas que os alunos podem passar na escola torna também mais compatível os seus horários com os dos pais.

Como a oferta vai funcionar ainda não se sabe, escreve o mesmo jornal.

O alargamento das atividades extracurriculares (AEC) a todos os alunos do ensino básico - cerca de 878 mil alunos, entre o 1.º e o 9.º anos - tem de ser negociada: vai ser necessário contratar funcionários, professores ou técnicos e até convencer as autarquias a entrarem nesta oferta. Tal refletirá um esforço financeiro que ainda não está calculado.

A aplicação da escola a tempo inteiro no primeiro ciclo pela ministra Maria de Lurdes Rodrigues, em 2006, representou um investimento na ordem dos 100 milhões de euros.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.