A Câmara de Coimbra “disponibiliza gratuitamente a todos os alunos e docentes do 1.º Ciclo do Ensino Básico (CEB), em articulação com os agrupamentos de escolas, uma plataforma de E@D [ensino à distância]”, anunciou hoje a autarquia.

São também disponibilizados “‘tablets’ e acesso móvel à internet, a título de empréstimo”, aos alunos daquele nível de ensino que não disponham deste tipo de equipamentos, disse à agência Lusa o presidente da Câmara, Manuel Machado, sublinhando que a medida pretende assegurar “a promoção de igualdade de oportunidades” no acesso à educação.

Dos quase quatro mil alunos que frequentam o 1.º ciclo na rede pública do município, cerca de 670 não possuem ‘tablets’ (ou equivalente) e cerca de quatro centenas “ainda não têm acesso (ou não têm acesso em condições) à internet”, referiu Manuel Machado.

“Atenta às dificuldades dos alunos e dos agrupamentos de escolas” do concelho, a Câmara de Coimbra espera, assim, “mitigar dificuldades e constrangimentos”, devido às “medidas de contenção perante a pandemia da covid-19”, afirma a autarquia numa nota à comunicação social, distribuída hoje, dia em que tem início “o terceiro período do ano letivo, cujas atividades letivas serão realizadas com recurso ao E@D”.

Esta plataforma de ensino à distância – “local virtual onde todos os alunos do 1.º CEB das escolas do concelho e respetivos docentes podem aceder para trabalhar os conteúdos programáticos para cada uma das áreas disciplinares” – é a mesma que já vinha sendo utilizada para as refeições e transportes escolares, mas que, naturalmente, teve de ser expandida, adiantou o presidente da Câmara de Coimbra.

“Ao todo, são cerca de 3.800 alunos, de 190 turmas, dos seis agrupamentos de escolas” de Coimbra que beneficiam de uma plataforma que “possibilita o trabalho em rede, em ambiente fechado e seguro”, facilitando “a partilha de conteúdos e a interação necessária ao desenvolvimento de atividades educativas, bem como à sua monitorização e acompanhamento por parte dos docentes”, sintetiza a autarquia.

No mesmo sentido, o município disponibiliza, “em articulação com os agrupamentos de escolas, ‘tablets’ e acesso móvel à internet aos alunos do 1.º CEB” que não dispõem destes equipamentos, “de forma a assegurar a promoção de igualdade de oportunidades no acesso à educação e o acompanhamento do Plano Nacional de Ensino à Distância”.

A medida, englobada no pacote municipal de emergência para apoiar as famílias perante os impactos negativos da pandemia da covid-19, envolve a disponibilização por parte da autarquia de um total de cerca de 670 ‘tablets’ e de 400 bandas largas de acesso móvel à internet.

Os equipamentos já foram distribuídos aos agrupamentos de escolas, que por sua vez os distribuem aos encarregados de educação em função dos dados recolhidos, conclui a Câmara.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 120 mil mortos e infetou mais de 1,9 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registam-se 567 mortos, mais 32 do que na segunda-feira (+6%), e 17.448 casos de infeção confirmados, o que representa um aumento de 514 (+3%).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.