A Comissão Europeia (CE) defendeu hoje o acesso universal das crianças ao ensino pré-escolar.
Em comunicado, informa que apresenta hoje um plano de acção que visa proporcionar a todas as crianças um melhor começo de vida, bem como lançar as bases para um futuro melhor.
As propostas da Comissão, que incluem um apelo ao acesso universal a um ensino pré-escolar de qualidade, visam também reduzir o abandono escolar precoce para menos de 10% e tirar pelo menos 20 milhões de pessoas de situações de pobreza e exclusão social.
Androulla Vassiliou, comissária europeia responsável pela Educação, Cultura, Multilinguismo e Juventude, declarou: «O investimento em serviços de educação e acolhimento na primeira infância é um dos mais rentáveis que podemos fazer pelos nossos filhos - e pelo futuro da Europa. A aposta num ensino pré-escolar de qualidade produz efeitos muito mais eficazes do que qualquer intervenção em fases posteriores. Proporciona às nossas crianças melhores oportunidades de vida e traduz-se em verdadeiras economias a longo prazo. A interrupção do ciclo de pobreza e carências significa também uma diminuição dos custos para o contribuinte em termos de serviços hospitalares e de saúde, ensino de recuperação, bem-estar e medidas de controlo.»
A escolaridade obrigatória inicia-se aos cinco ou seis anos de idade na maioria dos Estados-Membros e ainda mais cedo em Chipre, no Luxemburgo, na Irlanda do Norte e no Reino Unido. O nível de serviços prestados às crianças até ao início da escolaridade obrigatória varia consideravelmente na Europa no que respeita às políticas de financiamento, gestão e afectação de recursos humanos.
Em 2009, os ministros da educação estabeleceram como meta que 95% das crianças a partir dos quatro anos de idade devem beneficiar de serviços de educação e acolhimento. A actual média da UE é 92,3%, mas, também aqui, os números variam bastante e não reflectem necessariamente a qualidade dos serviços prestados.
As propostas da Comissão Europeia vêm dar resposta a uma solicitação dos Estados-Membros formulada em Maio de 2009, na sequência da adopção do Quadro Estratégico para a Cooperação no domínio da Educação e Formação, no sentido de medir e analisar os progressos da UE na melhoria do acesso a serviços de educação e acolhimento na primeira infância e identificar melhores práticas neste domínio.
As propostas da Comissão serão debatidas pelos ministros da educação da UE em Maio.
17 de Fevereiro de 2011

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.