“Um mês de guerra na Ucrânia deslocou 4,3 milhões de crianças, mais da metade da população infantil do país, estimada em 7,5 milhões”, referiu o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em comunicado.

Cerca de 1,8 milhões de crianças cruzaram a fronteira da Ucrânia para buscar refúgio em países vizinhos e 2,5 milhões estão deslocadas internamente.

“A guerra causou um dos deslocamentos de crianças em larga escala mais rápidos desde a Segunda Guerra Mundial”, disse a diretora-geral da UNICEF, Catherine Russell.

“É uma triste realidade que corre o risco de ter consequências duradouras para as gerações vindouras. A segurança das crianças, o bem-estar e o acesso a serviços essenciais estão ameaçados por uma violência horrível e ininterrupta”, declarou.

Pelo menos 81 crianças foram mortas na Ucrânia e 108 ficaram feridas, segundo o balanço divulgado na quarta-feira pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), que assinalou que os números reais são provavelmente muito maiores.

A guerra também teve consequências devastadoras na infraestrutura civil e no acesso a serviços básicos, pelo que 1,4 milhões de pessoas não têm acesso à água potável.

A UNICEF indicou ainda que mais de 450.000 crianças de seis a 23 meses precisam de apoio alimentar adicional.

A agência da ONU já observou uma redução na cobertura vacinal de rotina e infantil, incluindo sarampo e poliomielite, e teme que isso leve rapidamente a epidemias, especialmente em locais lotados, onde as pessoas se refugiam para escapar da violência.

“Em apenas algumas semanas, a guerra causou tanta devastação nas crianças da Ucrânia”, lamentou a diretora-geral da UNICEF.

“As crianças precisam urgentemente de paz e proteção. Elas precisam dos seus direitos. A UNICEF continua a pedir um cessar-fogo imediato e a proteção das crianças. A infraestrutura crítica da qual as crianças dependem, incluindo hospitais, escolas e prédios que abrigam civis, nunca deve ser atacada”, afirmou a responsável.

A UNICEF e os seus parceiros estão a trabalhar para levar ajuda humanitária às crianças na Ucrânia e nos países vizinhos e esta agência da ONU já entregou material médico a 49 hospitais em nove regiões, incluindo Kiev, Kharkiv, Dnipro e Lviv, e continua a distribuir água e produtos de higiene em comunidades sitiadas.

Nas próximas semanas, a organização pretende começar a entregar transferências em dinheiro para as famílias mais vulneráveis e criar espaços para crianças em locais especiais por todo o país.

No entanto, “apesar dos intensos esforços para garantir um acesso humanitário seguro, rápido e sem obstáculos, continuam a existir dificuldades nas zonas mais afetadas do país”, assinalou Catherine Russell.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.