Um maior afluxo sanguíneo para a zona pélvica provoca o intumescimento dos genitais, o que pode implicar sensações mais intensas na mulher e, adicionalmente, os níveis hormonais sempre crescentes contribuem para uma maior lubrificação vaginal. Com a gravidez, algumas mulheres também se sentem mais sensuais, femininas e soltas. Além disso, agora que não tem de se preocupar com uma eventual gravidez (caso não tenha estado nos seus planos durante algum tempo), é possível que se sinta mais sexual do que alguma vez antes se sentiu. No entanto, outros casais sentem que o seu apetite sexual é menor ou que estão simplesmente demasiado nervosos para terem relações. Se estiverem preocupados, pensem no seguinte:

• A menos que o assistente médico indique em contrário, é absolutamente seguro ter relações sexuais até à data de termo.

• As relações sexuais e os orgasmos não constituem qualquer risco para o bebé em desenvolvimento. O bebé está protegido pelo líquido amniótico da bolsa, pelo que qualquer impacto relacionado com o sexo não o afectará.

• O bebé não saberá que está a ter relações sexuais. (Os orgasmos podem por vezes provocar ligeiras contracções do útero, mas o bebé não sabe o que as causou.)

• É possível que sinta o bebé a mexer-se mais durante ou após uma relação sexual. Os especialistas pensam que poderá ser uma reacção inofensiva à aceleração do seu batimento cardíaco durante a relação.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.