Na preparação da chegada de um irmão, é importante colocar em prática estratégias que contribuam para a adaptação às mudanças:

Saiba gerir as mudanças

Quanto mais o nascimento do irmão implicar mudanças bruscas e significativas no quotidiano da criança mais velha, maiores serão os ciúmes que ela terá em relação ao irmão recém-chegado.

Para amenizar os ciúmes, é importante reduzir as ditas mudanças, ou antecipá-las, para que a “criança destronada” não tome o bebé como principal agente causador das mesmas. Por exemplo, se vai ser necessário que a criança mude de quarto ou de horários, convém fazer essas alterações alguns meses antes do nascimento do irmão; ou, se a chegada do bebé coincide com a ida, pela primeira vez, para a creche, jardim-de-infância ou escola primária – ou com uma qualquer mudança de escola – convém, algum tempo antes da vinda do irmão, ir habituando o mais velho a esse novo contexto extrafamiliar.

Procure dosear a atenção dedicada ao bebé

Quanto maior é a dita atenção – especialmente em comparação com a que devotam ao primogénito – mais ciúmes ele sente em relação ao irmão. Porque os ciúmes surgem também ao comparar a atenção recebida com a que o outro recebe e com aquela que ele próprio recebia antes.

Saiba atribuir o papel do irmão mais velho

Geralmente, após o nascimento do bebé, os pais tendem a aumentar o nível de exigências para com o mais velho. Mas este não ficou “grande” de um dia para o outro, só porque já tem um irmão. Não se lhe pode pedir, bruscamente, para ajudar a cuidar do bebé, para ter um bom comportamento, para ser um modelo do mais novo e o substituto dos pais na sua ausência.

Demasiadas responsabilidades podem fazê-lo crescer demasiado depressa, e o ideal é que o mais velho se aperceba, paulatinamente, dos ganhos que tem em desempenhar esse papel em relação ao irmão. Um papel que ele não está habituado a ter e que, por isso, por ser novo, pode causar-lhe alguns embaraços ou inseguranças. Os pais devem assegurar que ele se sinta útil e competente nas suas novas tarefas enquanto irmão mais velho.

Dicas sobre a relação da criança mais velha com os pais

Quanto mais intensa for a ligação entre a mãe e o filho mais velho, mais ciúmes este poderá ter do recém-nascido. É que o nascimento de um bebé implica, sempre, uma diminuição da atenção da parte da mãe, naturalmente sobreocupada com o bebé.

Se já existe uma boa relação com o pai, os ciúmes relativamente ao irmão podem ser menorizados, se aquele, mais liberto dos cuidados a prestar ao recém-nascido, incrementar as suas interações com o filho mais velho, de forma a colmatar o “descuido materno” que, de qualquer forma, é sempre sentido. Podemos dizer que o facto de a criança dispor de uma forte relação com o pai (antes e após o nascimento do irmão) amortiza o impacto do dito nascimento.

Texto: Otília Monteiro Fernandes, Professora de Psicologia na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Edição: Ana Margarida Marques

Siga este e outros temas sobre gravidez no Facebook A Nossa Gravidez.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.