A Organização Mundial da Saúde, a Unicef, a Academia Americana de Pediatria e outras organizações médicas, à semelhança de muitos especialistas nacionais e internacionais, recomendam o leite materno aquando da escolha do leite para o seu bebé. Como refere Paulo Oom, pediatra, «os bebés alimentados ao peito estão mais protegidos contra algumas doenças e infeções», sendo a amamentação a melhor opção. Uma opinião que vários estudos globais também defendem.

Mas quando a mãe está impossibilitada de amamentar, como no caso de «bebés prematuros sem força suficiente para a sucção, de uma mãe com os mamilos invertidos ou, em casos raros de doença da mãe (por exemplo, infeção pelo vírus da imunodeficiência humana), ou da sua necessidade em fazer tratamentos nocivos para o bebé (por exemplo, quimioterapia)», como enumera Paulo Oom, deve saber qual o leite mais indicado para o seu bebé.

Como escolher

Existem duas fórmulas para bebés. Os leites para latentes até aos quatro a seis meses e os leites de transição após esse período. No entanto, o bebé pode precisar de um leite especial. Estes são os mais comuns:

- Leite anticólicas

Como o nome indica, é indicado para bebés que sofram de cólicas.

- Leite antiobstipação

Indicado para melhorar o trânsito intestinal, a frequência e a consistência das fezes do bebé, também é recomendado por muitos especialistas.

- Leite antirregurgitante

Este produto é especialmente indicado para bebés que têm tendência para bolçar muito.

- Leite hipoalergénico

Este leite é indicado quando há histórico de alergias na família.

- Leite sem lactose

Indicado para bebés com intolerância à lactose, uma situação rara, apesar dos casos terem vindo a aumentar nas últimas décadas.

- Leite para prematuros ou bebés de baixo peso

Tal coo o nome indica, este leite é indicado para satisfazer as necessidades nutricionais destes bebés.

Leite em pó versus leite materno

A fórmula dos leites em pó tenta aproximar-se da composição do leite materno mas mantém algumas diferenças. Estas são as quatro essenciais:

1. As fórmulas anteriores são feitas a partir de leite de vaca.

2. Não têm os chamados elementos vivos, nomeadamente os anticorpos e os fatores imunológicos que o leite materno integra naturalmente.

3. Geram um ambiente intestinal diferente e menos favorável.

4. O leite materno tem maior variedade de sabores, paladares e cheiros.

Veja na página seguinte: Há diferenças entre os leites de supermercado e os de farmácia?

O que diferencia os diferentes leites à venda no mercado

Apesar de haver uma maior informação, continua a ser grande o desconhecimento no que toca a esta matéria. O especialista Paulo Oom, médico pediatra, responde a algumas das dúvidas mais comuns que muitas das mães (ainda) possam ter.

Há diferenças entre os leites de supermercado e os de farmácia?

Não. Os leites que estão à venda nos supermercados e nas farmácias têm uma composição muito semelhante e são de qualidade. O preço também não é indicador de qualidade.

Quais os cuidados a ter durante a toma?

Deve estar atenta a sinais. Se a criança continuar a chorar depois de comer ou se tiver que fazer intervalos muito curtos entre as refeições, pode ser sinal de que precisa de mais. A ocorrência de vómitos e de diarreia ou o aparecimento de manchas na pele pode ser sinal de alergias ou intolerâncias a alguns componentes do leite.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.