É uma das etapas mais aguardadas pelos pais, mas há que esperar que o bebé esteja pronto. Reconheça os sinais e veja como ajudá-lo.

Deixar a fralda marca um momento importante na vida do seu filho.

 

Ele cresce a olhos vistos e todos os dias a surpreende com novas capacidades e proezas mas é o facto de abandonar o uso da fralda que concretiza a passagem de bebé a criança. Normalmente, é uma altura aguardada com ansiedade pelos progenitores, mas é essencial respeitar o ritmo de cada bebé e, claro, estar preparado para acidentes. Siga os nossos conselhos e despeça-se da fralda.

Chegou a hora

O segundo aniversário é o marco comum para iniciar esta aventura, mas a decisão não deve depender apenas da idade. «Normalmente, é por volta dos dois anos que se inicia o processo. No entanto, é preciso estar atento aos sinais que o bebé emite e que definem se está ou não preparado. Por exemplo, se ele já consegue avisar antes de fazer, consegue conter-se e tem um horário regular que permite antecipar a situação, poderá ser um bom momento», informa a pediatra do desenvolvimento Mónica Pinto.

Por etapas

A melhor altura do ano para a erradicação da fralda será a primavera ou o verão já que a criança terá menos roupa a atrapalhar. Mas atenção. «O processo pode durar toda a estação e não é provável que o bebé deixe a fralda de dia e de noite ao mesmo tempo», esclarece a especialista.

Até porque, se o deixar a fralda de dia é algo que pode ser treinado, o mesmo não acontece de noite. «Só ao fim de cerca de duas semanas com a fralda seca de manhã é que os pais devem começar o desfralde noturno», aconselha.

Tranquilidade geral

Se há crianças para quem esta mudança decorre com facilidade e sem grandes incidentes, para outras o sucesso demora mais a ser alcançado. E é aqui que o pais têm um papel essencial. «É muito importante que os progenitores estejam preparados para os acidentes e nunca recriminem o bebé quando estes acontecem», explica a pediatra. Na prática, há que eliminar a ansiedade normal associada a este processo e não ter pressa.

Rumo ao sucesso

É preciso que os pais tenham consciência de que os acidentes irão acontecer e que são uma situação perfeitamente normal durante esta etapa.

Mas há estratégias que poderão minimizar os riscos. «Devem existir vários bacios acessíveis pela casa. Os pais podem contar uma história enquanto a criança está sentada no bacio para que ela se sinta tranquila e confortável», diz.

 

«E os sucessos devem ser aplaudidos e festejados», exemplifica, ainda, Mónica Pinto. Lembre-a regularmente de ir à casa de banho, pois é comum a criança esquecer-se quando está entretida a brincar. E basta uma mera distração para deitar tudo a perder.

Aliados certos

Optar por um bacio ou adaptadores de sanita não deve ser a preocupação central dos pais. «A escolha deve recair num objeto simples, pois hoje em dia existem muitos bacios cheios de pormenores que depois não são práticos», alerta a pediatra.

Outra situação a evitar é a substituição da fralda habitual por outros modelos. «A criança não deve usar fralda durante o dia. Pode mesmo não usar nada, sendo que a fralda-cueca é desaconselhável», frisa.

Em casa e na escola

A ida à casa de banho após o almoço é um ritual comum na creche nesta fase. Como explica a médica, «a alimentação desencadeia processos biológicos que facilitam as dejeções, por isso, ajuda sentar a criança no bacio depois de comer. Mas não mais de cinco minutos».

O truque consiste em nunca forçar a situação e respeitar o ritmo do seu filho. Coordene o processo com a creche, uma vez que será mais fácil para a criança seguir sempre a mesma rotina, evitando assim que fique confusa.

Sob vigilância

Mais ou menos demorado, com mais ou menos incidentes, o treino costuma ser bem sucedido. Esta situação exige, contudo, alguma paciência.

No entanto «há que conhecer a história familiar para saber se, por exemplo, existe uma tendência para fazer xixi na cama», salienta a pediatra.

Por fim, «se as tentativas forem sucessivamente infrutíferas, se se verificar uma recusa persistente do bacio ou se, de um momento para o outro, a criança deixar de controlar a vontade, é importante recorrer ao pediatra para que este avalie se há outros fatores envolvidos», conclui.

8 sinais para avançar no treino para o bacio

Só deve iniciar este processo quando a criança:

1. Já quer estar sempre de pé e a andar de um lado para o outro

2. Tem a linguagem bastante desenvolvida

3. Sabe dizer não

4. Sabe pôr as coisas no sítio certo

5. Começa a imitar os pais e irmãos mais velhos

6. Mantém-se seca durante uma ou duas horas

7. Faz cocó a horas certas

8. Reconhece a sensação que precede a eliminação do xixi e do cocó

 

Texto: Sandra Diogo com Mónica Pinto (pediatra do desenvolvimento)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.