Camilla, que se tornou rainha consorte quando o marido, Carlos III, assumiu o trono britânico, decidiu abdicar de um dos privilégios a que tinha direito, colocando assim fim a uma tradição de séculos.

A soberana, de 75 anos, decidiu manter a sua própria equipa e não ter damas de companhia, conforme evidencia o jornal britânico Daily Mail.

“Quando ela casou e formou o seu próprio escritório ela conseguiu dois secretários brilhantes - Amanda Macmanus e Joy Camm. Eram ‘dois ao preço de um’. Não só tratavam dos seus compromissos e projetos, como também assumiam a posição de damas de companhia quando necessário, acompanhando-a a eventos oficiais e recolhendo flores, coisas do género”, notou uma fonte à publicação.

“Ninguém faz cerimónia no escritório, toda a gente entra. O sentimento é de que embora as coisas tenham mudado drasticamente em diversos aspetos, ela não irá criar uma equipa oficial de damas de companhia”, continua.

Recorde-se que as secretárias que trabalham atualmente para Camilla são Sophie Densham e Belinda Kim.

Leia Também: Filhos de rainha consorte Camilla irão receber títulos da realeza?

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.