Kim Kardashian: a construção de um império que começou com uma sex tape

Foi em outubro de 2007 que estreou, no canal E!, o primeiro episódio do programa televisivo que viria a mudar a vida do clã Kardashian. Inspirado no reality show The Osbournes, Ryan Seacrest encontrou na família Kardashian o aliado perfeito para recriar o formato. De acordo com Kim Kardashian, esta foi a oportunidade perfeita para impulsionar aquele que foi o primeiro negócio da família antes do reality show – as lojas Dash que se dedicavam à venda de roupa. Apesar de as irmãs terem expandido as lojas para três cidades, o negócio acabou por fechar em 2018.

“Quando a oportunidade para o programa de televisão surgiu, quis fazê-lo para atrair atenção para as nossas lojas. Pensei que isto não é algo que vai durar muito tempo, mas que iríamos construir um ótimo negócio e expandir online. Achei que iria ser boa publicidade. Não pensei que iria tornar-se naquilo que se tornou,” disse à revista Variety em abril de 2015 sobre o programa que acabou por ter ainda mais visibilidade por causa do seu vídeo pornográfico caseiro.

Kim Kardashian

Idade: 40

Fortuna: 780 milhões de dólares

Empresa: KKW Beauty, Inc. (2017), SKIMS (2018)

Salário do reality-show: 4,5 milhões de dólares por temporada

Vídeos de fitness, aparições em filmes, coleções de roupa, uma linha de produtos de beleza em parceria com as irmãs, spin-offs e até o lançamento de um single foram algumas das primeiras aventuras empresariais da carreira de Kim Kardashian.  Se atualmente supervisiona todos os aspetos da sua empresa e analisa bem os produtos e marcas às quais associa o seu nome e a sua imagem, a verdade é que isso nem sempre foi assim. “Antigamente associava o meu nome a qualquer coisa”, confessou em entrevista à Forbes sobre antigas parcerias, revelando que  a experiência foi essencial para o seu crescimento enquanto empresária.

Entre os seus negócios mais bem sucedidos está o jogo para telemóvel "Kim Kardashian: Hollywood" lançado em 2014 pela empresa Glu Mobile. A ideia, que inicialmente não convenceu a socialite, mostrou-se bastante rentável para si tendo sido “descarregado 45 milhões de vezes e gerou 160 milhões de lucros”, escreveu a revista Forbes na altura sobre o sucesso. Outra foi o lançamento de uma app batizada de Kimoji – que atualmente já não existe e que acabou com um processo judicial – que bateu recordes nunca antes vistos: para além de ter deixado a app store indisponível, tornou-se “na app com mais downloads 24 horas após o seu lançamento”.

Nos últimos anos Kim Kardashian tem-se dedicado à KKW Beauty: uma marca especializada em produtos de maquilhagem. Lançada em 2107, a primeira coleção foi um sucesso estrondoso, esgotando no espaço de três horas e vendendo mais de 300 mil unidades. Sem contar com as colaborações especiais, entretanto foi expandindo a sua lista de produtos, sendo possível comprar lipgloss, bases, pós, sombras de olhos, cremes para o corpo, pincéis e, mais recentemente, perfumes.

Em julho de 2019, Kim Kardashian anunciou que ia lançar uma linha de roupa interior, loungewear e shapewear. A marca SKIMS, que foi desenvolvida ao longo de 10 anos, nasceu por a socialite nunca ter encontrado produtos de shapewear que funcionassem na perfeição para si. “Um bom look começa com o que está por baixo. Se não me sentir confortável na minha roupa interior ou se não me servir corretamente, não me vou sentir bem nela”, disse em entrevista à loja de departamento Nordstrom que começou a comercializar os seus produtos em 2020.

O sucesso foi imediato registando “dezenas de milhares de encomendas no espaço de minutos e mais de meio milhão de visitantes [online] com a intenção de comprar", referiu Jens Grede, parceiro e diretor da marca Skims, à revista Forbes.

Questionada pela revista Vogue sobre o fim do programa, que este no ar durante 14 anos, a socialite refere que foi uma decisão “unânime” da família. “É louco olhar para trás e pensar 20 temporadas. É muito tempo e isto porque nunca esperamos que durasse tanto tempo. Nós divertíamo-nos muito e gostávamos, genuinamente, de filmar em família”, confessou durante uma entrevista concedida em março de 2021.

Kylie Jenner e os lipkits: a rapariga que transformou uma insegurança num negócio multi-milionário

Das irmãs, Kylie Jenner sempre foi a mais camaleónica, dando nas vistas com as suas constantes mudanças de visual. Azul, néon e rosa são algumas das cores de cabelo escolhidas pelo membro mais novo da família ao longo dos anos. Em 2015 a jovem decidiu capitalizar com isso ao associar-se à marca Bellami Hair para o lançamento de uma linha de extensões de cabelo batizada de Kylie Hair Kouture.

Apesar de já se ter aventurado pelo mundo da beleza em colaborações com outros membros da família, 2015 foi um ano decisivo para a sua carreira que culminou com o lançamento da sua empresa KYLIE Lip Kits (mais tarde rebatizada de Kylie Cosmetics). O primeiro produto – e o mais icónico de todos – foi o famoso lip kit: composto por um lipgloss e um lápis de contorno para os lábios. Mais do que popularizar este produto – alvo de inúmeras  imitações e falsificações -, tornou-o objeto de desejo em todo o mundo.

Kylie Jenner

Idade: 23

Fortuna: 700 milhões de dólares

Empresa: Kylie Cosmetics (2014)

Salário do reality-show: 4,5 milhões de dólares por temporada

Em entrevista ao Evening Standard, em 2018, disse que o facto de nunca ter gostado do tamanho dos seus lábios a fez querer criar uma empresa especializada neste tipo de produtos. “Foi a coisa mais autêntica que fiz na minha carreira […] e que acho que as pessoas percebem que é algo pelo qual sou apaixonada. Surgiu por causa de uma insegurança minha e transformei-a em algo. Era insegura em relação aos meus lábios e o batom ajudou a sentir-me confiante.”

Aliás, "Keeping Up with the Kardashians" acompanhou esta jornada particularmente difícil na vida de Kylie Jenner que, aos 17 anos, decidiu colocar lip fillers para superar essa insegurança. Na altura o procedimento estético deu muito que falar na imprensa e nas redes sociais uma vez que a jovem se recusou a falar sobre o tema, quebrando o silêncio em 2015 num dos episódios do programa. Dois anos depois teve direito ao seu próprio reality show Life of Kylie - focado na sua vida pessoal e profissional - que terminou ao fim de uma temporada.

Com o passar dos anos o seu império foi crescendo: para além de diversas colaborações, em 2019 lançou Kylie Skin, uma linha de produtos de beleza cruelty-free e vegan. “Não o faço por dinheiro ou por pensar que futuramente isso poderá ter sucesso. Sempre tive consciência dos meus talentos e era apaixonada por maquilhagem e batons. […] Sinto-me abençoada todos os dias quando acordo, divirto-me a fazer aquilo que amo e poder ter tornado isso numa carreira”, afirmou à Harpers Bazaar Arabia em junho de 2019 sobre o seu império.

E o mesmo se pode dizer sobre a sua fortuna – atualmente avaliada em 900 milhões de dólares -  que em 2018 lhe valeu a capa da edição da revista Forbes que a descreveu como a próxima “youngest-ever self-made billionaire”, um título que na altura não caiu muito bem entre os fãs. Recorde-se que em maio de 2020, após o clã Kardashian-Jenner ter sido acusado de adulterar os lucros da empresa Kylie Cosmetics e consequente, a fortuna da jovem empresária, a publicação retirou-lhe este título.

A última temporada de "Keeping Up with the Kardashians" vai ser exibida no domingo, dia 28 de março, pelas 20h no canal E! Entertainment.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.