James Franco chega a acordo numa ação judicial onde ex-alunos da escola de cinema e teatro do ator alegam que este os intimidava para fazerem cenas de sexo durante as aulas.

Um relatório revela que ambas as partes chegaram a um acordo no dia 11 de fevereiro, mas esta decisão ainda não tinha sido comunicada.

Sarah Tither-Kaplan e Toni Gaal, ex-alunos da Studio 4 que deram início ao processo em 2019, decidiram retirar a queixa contra o ator após o acordo.

Os artistas tinham acusado James de os ter forçado a fazer cenas de sexo explícito diante das câmaras, "num ambiente de orgia que ia muito além do aceitável nos estúdios de filmagens de Hollywood".

Além disso, alegaram que o ator "procurou criar um canal de mulheres jovens que eram submetidas à sua exploração sexual pessoal e profissional em nome da educação". Mas não ficaram por aqui, acusando ainda James de fazer os alunos acreditarem que estariam disponíveis papéis em filmes do próprio para aqueles que participassem.

As ações judiciais indicam que os incidentes ocorreram durante uma aula sobre cenas de sexo dada na Studio 4, escola que foi inaugurada em 2014 e encerrada em 2017.

Ambas as partes estavam a discutir um acordo há vários meses, e o andamento do processo foi interrompido enquanto conversavam. Não se sabe ao certo o que ficou decidido, apenas que o acordo será submetido para aprovação preliminar do tribunal até 15 de março

Leia Também: Ex-namorada de Shia LaBeouf mostra o seu apoio a FKA Twigs

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.