"Serão louvados pelas futuras gerações ou denegridos por elas", disse DiCaprio durante a cerimónia, em que estiveram representados 171 Estados, que ratificaram o acordo.

"Podemos congratular-nos hoje, mas de nada servirá se regressarem aos vossos países e não conseguem cumprir as promessas deste acordo histórico", salientou o ator.

DiCaprio, que ganhou o primeiro Oscar da sua carreira, este ano pela sua interpretação no filme "The Revenant, falou do seu papel de embaixador especificando que é um "mensageiro da paz com um destaque especial nas questões da alteração climática".

O ator afirmou-se "aterrorizado" com os efeitos do aquecimento global que constatou no Ártico, Índia, Califórnia ou no Canadá.

"A alteração climática é mais rápida do que as piores previsões dos especialistas há algumas décadas", afirmou.

DiCaprio admitiu que ter um número recorde de países a assinar o acordo é um sinal de esperança mas que não era suficiente para combater a alteração climática.

"Uma mudança radical é necessária agora, uma [mudança] que leve a uma nova consciência coletiva", acrescentou.

"Chega de belos discursos, de desculpas, de manipulações da ciência e das políticas pelas empresas ligadas às energias fósseis", exortou o ator.

DiCaprio recebeu aplausos de toda a plateia, destacando que o planeta "não pode ser salvo se as energias fósseis não ficarem onde estão, no subsolo, onde pertencem".

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.