Uma das coisas que mais gostamos sobre a Família Real britânica é a quantidade de tradições que resistiram no tempo.

Há celebrações belíssimas, como os Casamentos Reais, e tradições que são um pouco, digamos, fora do comum. Conheça algumas delas.

1. A Rainha tem dois aniversários

No Reino Unido comemora-se duas vezes: primeiro, no dia 21 de abril, que é a data de nascimento da Rainha. O outro é uma celebração pública, conhecida como Trooping the Colour, que acontece geralmente no segundo sábado de junho. A tradição surgiu para que os monarcas tivessem a oportunidade de comemorar juntamente com os súditos, num dia de verão.

2. A Rainha não precisa de passaporte

O passaporte de cidadãos britânicos é emitido em nome da Rainha, ou seja, é a permissão que a Rainha dá para que aquele cidadão viaje para fora do país. Sendo assim, ela não precisa dar a si mesma permissão para viajar. Mas é a única: todos os outros membros da Família Real, incluindo o seu marido, precisam do passaporte.

3. Acima da lei

O monarca reinante não precisa da carta de condução para conduzir e está isento do uso do cinto de segurança. Também é imune a processos civis e criminais. Uma norma que foi estabelecida há séculos, quando reis e rainhas eram soberanos que se colocavam acima da justiça, e nunca foi alterada. Mas mesmo com este "direito", a Rainha mantém um comunicado oficial afirmando seguir todas as leis vigentes no país, em tudo o que faz.

4. Os corvos da Torre

Na Torre de Londres os corvos têm privilégios especiais. Tudo começou com uma profecia do século 17 que dizia que "quando os corvos saírem da Torre de Londres, o império irá ruir". Desde então um pequeno grupo de corvos é residente na Torre. Pelo menos seis aves são tratadas quase como realeza pelo Ravenmaster, o responsável por alimentar e cuidar dos bichos, para que estes permaneçam sempre por ali.

5. Calções obrigatórios para os mais pequenos

Talvez já tenha percebido que o pequeno príncipe George está sempre de calções, inclusive nos dias mais frios de inverno. Esta antiga tradição nasceu na aristocracia britânica, que em algum momento da história classificou como 'suburbano' vestir os pequenos com calças. De acordo com a tradição, os herdeiros rapazes só deixam de usar calções a partir dos 8 anos.

Príncipe George, filho de Kate Middleton e William, celebra sete anos

6. A gaita de foles é o alarme da Rainha

Todas as manhãs, de segunda a sexta, a Rainha é acordada pelo som da gaita de foles, que é tocada pelo Sovereign's Piper (o instrumentista do soberano) ao lado da janela do seu quarto. O primeiro Sovereign’s Piper foi contratado pela Rainha Vitória em 1843, após uma viagem da monarca às Terras Altas da Escócia. Desde então o ritual permanece, com duração de 15 minutos.

7. Um deputado como refém

Todos os anos a Rainha faz a abertura do Parlamento Britânico (a Câmara dos Deputados), anunciando os itens importantes da agenda do país. Mas antes de a Rainha fazer o seu discurso, um membro do parlamento é "feito refém" do Palácio de Buckingham, para garantir que a monarca regressa sã e salva.

A tradição começou séculos atrás, quando a relação entre reis e deputados era um pouco mais tumultuada. Para evitar possíveis atentados, precauções foram tomadas. Hoje a tradição é mantida como gesto simbólico.

Parlamento Londres
créditos: Pixabay

Fonte: VisitBritain

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.