O Esteiro de Salreu, no concelho de Estarreja, freguesia de Salreu, lugar do Cadaval–Travisqueira, na região do Baixo Vouga Lagunar, constitui uma paisagem cultural com um elevado interesse conservacionista, integrado na Zona de Protecção Especial da Ria de Aveiro. Encontra-se inserido globalmente em área de salvaguarda restrita, Reserva Ecológica Nacional (REN) e Reserva Agrícola Nacional (RAN).

Associado a ele existe um percurso (extensão aproximada de 8,5 km), o percurso de Salreu, que atravessa áreas de sapal e paúl, assim como terrenos de cultivo que na sua maioria são arrozais.

Este percurso de natureza foi implementado com o intuito de salvaguardar e divulgar as potencialidades e riquezas desta zona, e é base de um projecto, o Bioria, concebido oficialmente em Dezembro de 2003, pela Faculdade de Engenharia do Porto, em parceria com a Câmara Municipal de Estarreja e com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro.

Estratégia de intervenção

O largo do Esteiro de Salreu está fortemente ligado ao percurso de Salreu, quer pelas recordações associadas ao passado, quer por constituir o ponto de encontro para as pessoas que o visitam. Para além disto, pode ser considerado como o ponto de contacto entre o espaço construído e o natural, uma vez que ao
posicionarmo-nos na direcção do canal, na direcção dos campos agrícolas e do percurso tem-se a percepção que este é o limite físico entre o meio construído e o natural. A união que existe entre estes dois meios é bastante visível na própria morfologia do espaço, o que implica que existe uma «Fusão Espaço Natural/Espaço Construído».

Principais linhas orientadoras para a intervenção

No programa de intervenção proposto pretende-se que o lugar a intervir seja um espaço de lazer, respeitado pela sua primordial identidade. Para além da preservação de elementos marcantes associados ao espaço, pretende-se que este seja uma área aberta para o contacto directo com a natureza.

Desta forma, as principais linhas orientadoras na elaboração da proposta de intervenção, apresentadas em seguida, são fundamentalmente as seguintes:

- Requalificar e valorizar o largo do Esteiro de Salreu e área envolvente, com o intuito de promover a atracção da população a visitar um espaço de qualidade, tirando partido da paisagem existente na envolvente, contactando mais de perto com a natureza

- Salvaguardar e promover os valores culturais e naturais existentes, de modo a marcar um tempo importante para todos na história local e presente na memória dos habitantes do concelho de Estarreja


Veja na página seguinte: Os novos pólos de interesse que se pretendem criar nesta zona

- Criar pólos de interesse na área, com diferentes funcionalidades, atribuindo uma maior dinâmica ao espaço

- Impedir a criação de barreiras visuais e físicas no espaço

- Reconverter habitações existentes, atribuindo-lhe um novo uso

- Integrar na área uma ciclovia, que percorra vários pontos do concelho

- Criar condições de navegabilidade através da limpeza do canal e recriar o cais de embarque, para que haja uma interacção mais directa com a Ria de Aveiro, proporcionando o desenvolvimento turístico da região

- Criar um ponto de contemplação da paisagem

- Assegurar o estacionamento automóvel para os visitantes, numa zona afastada do centro do largo

- Enriquecer a área de intervenção com vegetação mediterrânea, adaptada ao local

- Assegurar a preservação dos habitats existentes, em particular o caniçal na bifurcação do esteiro. Recriação no prolongamento deste de uma zona de sapal, com o intuito de criar uma certa continuidade e de favorecer a criação de habitats

- Manter a galeria ripícola existente ao longo do canal, visto que esta é extremamente importante ao nível da biodiversidade e da protecção dos recursos hídricos


Ficha técnica do projecto
Autora:
Maria João de Lemos e Melo, arquitecta paisagista
Localização: Salreu, concelho de Estarreja, distrito de Aveiro
Percurso: Licenciada em Arquitectura Paisagista pela Faculdade de Engenharia e Recursos Naturais da Universidade do Algarve, tem participado em diversos workshops, conferências, concursos e exposições. Entre Fevereiro e Maio de 2006 estagiou na Divisão de Planeamento e Urbanismo da Câmara Municipal de Estarreja. Foi durante esse estágio que elaborou esta proposta de intervenção para aquela zona.

Texto e foto: Maria João de Lemos e Melo (arquitecta paisagista)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.