Quem não gosta de estrear uma peça nova? Pensa-se logo na ocasião em que a vai usar, que vai ficar bem com determinada peça de roupa e que se vai fazer uma vistaça. É tudo legítimo e perfeitamente normal, no entanto, quando as peças não são lavadas primeiro isso pode representar alguns riscos para a saúde. Ainda que possa pensar que as probabilidades são baixas, o que é certo é que, se pensar bem, não sabe como as peças foram armazenadas, transportadas, experimentadas e usadas por outras pessoas.

O departamento de Microbiologia e Imunologia da Universidade de Nova Iorque realizou uma série de análises em algumas peças de roupa e o resultado foi, no mínimo, surpreendente.

Insetos

O mais comum podem ser piolhos e, sim, podem estar presentes na roupa devido aos locais por onde esta passa e aos armazéns onde fica armazenada. Por isso, depois de uma tarde de compras é conveniente lavar bem as mãos e, claro, a roupa.

Bactérias e germes

Nas 14 peças de roupa de três cadeias de lojas diferentes analisadas pelo departamento foram encontradas secreções respiratórias, células epidérmicas e coliformes fecais. A maioria estava alojada nas costuras das axilas e nádegas. Ainda acha que só vale a pena lavar a roupa interior?

Doenças

Infelizmente organismos que causam hepatite A, diarreia, salmonela, norovírus (gastroenterites), infeções fúngicas, estreptococos e outros podem ser contraídas através de roupa contaminada. É certo que grande parte das pessoas tem um sistema imunitário capaz de combater estas doenças, mas cada caso é um caso.

Formaldeído

É um composto orgânico utilizado para deixar os tecidos mais resistentes e difíceis de encolher e que pode causar alergias em algumas pessoas. Irritação nas membranas dos olhos, da pele e das vias aéreas superiores são alguns dos sintomas. Como o melhor é prevenir, nada como fazer um teste de alergias num especialista.

Fungos e secreções

Biquínis, lingerie, cuecas ou calções de banho são, por norma, peças em que as pessoas têm um pouco mais de cuidado e costumam lavar antes de usar. No entanto, sabia que ao experimentar uma peça deste género está a correr diversos riscos? Apesar de muitas lojas não fazerem devoluções destes artigos e usarem uma película protetora, pode ter a certeza que está a entrar em contato com as virilhas e axilas de um desconhecido. Secreções respiratórias, flora cutânea, coliformes fecais e fungos são alguns dos exemplos.

Corantes azóicos

Em 2003, o Parlamento Europeu proibiu o uso destes corantes em quantidades superiores a 30 ppm (partes por um milhão). Contudo, se é uma pessoa com a pele muito sensível, esta substância pode causar vermelhidão nas áreas da cintura, axilas, pescoço e coxas.

Posto isto, afim de evitar algum tipo de mazela, nada como lavar a sua roupa antes de a estrear. Deixamos uma sugestão: lavar com água fria, pouco detergente e adicionar duas colheres de sopa de sal grosso. Caso seja roupa de cor, deixe de molho com um litro de água, um copo de vinagre branco e duas colheres de sopa de sal grosso.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.