Sou seguidora e utilizadora do método KonMarie, criado por Marie Kondo, e quero dar-vos a conhecer este processo de organização que tem vindo a crescer e a ganhar território no mundo da organização.

"It’s about choosing joy" (Trata-se de escolher alegria, em tradução livre) é a primeira frase que aparece no site e na comunicação e diz-nos que através do seu método konmari de visualização e organização, a vida das pessoas muda. O serviço de consultoria prestado, mais do que uma organização, é um momento life-changing, ou seja, muda a vida dos clientes para sempre.

Marie Kondo tornou-se ainda mais conhecida desde o lançamento da série da Netflix "Tyding up with Marie Kondo" onde partilha em termos práticos o momento único e especial que é a organização de uma casa.

Este momento trata-se muito mais de uma mudança de vida ao invés da organização em si. Trata-se de questionar tudo o que temos em casa e ficar apenas com aquilo que nos traz alegria. Ou como a guru da organização afirma "spark joy" (espalhar alegria, em tradução livre). Algumas pessoas não compreendem num primeiro instante o que isso significa, mas a melhor forma de explicar este método é experimentar pegar na sua peça de roupa preferida. O que sente? É exatamente essa é a sensação. Até para os mais céticos funciona.

Este método de organização tem que ser feito de uma vez, de forma intensiva, para que o seu mindset mude completamente e tenha uma mudança eficaz. Quando é feito com grandes períodos de intervalo, a tendência para tudo voltar ao que era é maior.

Existem dois passos específicos a experienciar neste processo de organização:

1 - Selecionar o que queres manter;

2 - Decidir onde queres guardar.

A partir daí é só começar.

Para quem se interessa por este processo de organização, existem ainda pequenos passos que se devem dar antes, durante e depois destes dois, principais e decisivos, para toda a mudança.

Muitas pessoas bloqueiam durante este tipo de organização, mas Marie Kondo ajuda-nos a simplificar o processo com pensamentos mais focados no positivo e menos no negativo. Por exemplo, a ideia não será escolher o que já não quer e desfazer/destralhar/despedir, mas sim focar no que o faz feliz e o que quer manter. Assim, torna-se mais fácil a decisão final.

Deverá também pegar em cada peça/item/objeto que tem em sua casa e perceber o que sente emocionalmente quando pega no objeto. Para as coisas que já não lhe trazem nada de positivo, o destino é claro. Tirar imediatamente (ou ao final do dia) de casa. Manter objetos em casa que já não quer e que já decidiu que vão embora, abre sempre a possibilidade de voltar a entrar no armário e esse não é o objetivo.

Ainda falando dos itens que vão embora, Marie Kondo aconselha que se despeça deles para que se sinta grato pela missão que teve na sua vida, nem que seja aquela peça cara que comprou mas nunca usou e que serviu para lhe ensinar sobre aquilo que não usa nem que precisa de comprar. Afirmações como "obrigado/a por me teres feito feliz quando te comprei" ou "obrigado/a por me ensinares aquilo que não me favorece nem fica bem" podem ajudar a tornar este momento de despedida mais leve e feliz.

Marie Kondo foi eleita uma das 100 pessoas mais influentes da Time e está na lista 40 da Fortune com menos de 40 anos. É autora de dois best-sellers presentes na lista do jornal New York Times: "The Life-Changing Magic of Tidying Up" e "Spark Joy".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.