Ângela Plácido, autora da página de Instagram Atreve-te a Ser Feliz, dedicou os últimos meses à escrita de um livro que se apresenta como um manual para viver uma vida (e num lar) natural. Em Casa Natural (edição Arena), a sustentabilidade é o mote principal, com a partilha de dicas e diversos projetos do it yourself, de fácil execução e utilizando matérias-primas naturais, que permitem não só simplificar o seu dia a dia, como também economizar tempo e dinheiro.

O livro organiza-se por áreas da casa — cozinha, despensa, lavandaria, sala, quarto e casa de banho —, bem como com uma secção dedicada à beleza natural. Casa Natural mostra-nos, por exemplo, como fazer detergente em pó para a máquina de lavar loiça, ambientador com ervas aromáticas e frutos, almofadas térmicas, velas de cera de soja, sabonetes ou creme sólido para o corpo, entre muitas outras ideias.

Ângela Plácido é mestre em Ciências da Educação e Plant Based Chef, e uma influenciadora em temas ligados à sustentabilidade. Apaixonada por mercados e lojas locais e a granel, tornou autossuficientes a sua família e a sua casa, criando os seus próprios produtos recorrendo a matérias-primas naturais, acessíveis e económicas. Casada, tem três filhos e um cão (ou filho de quatro patas).

 Do livro Casa Natural publicamos o excerto abaixo:

Armário de limpeza natural

Descobri que posso manter uma casa limpa sem colocar em risco a saúde da minha família e planeta, fazendo os meus próprios produtos, de forma simples e económica.

É recorrente encontrarmos na maioria das casas, normalmente por baixo do lavatório da cozinha, um armário de limpeza, repleto de produtos que possuem um único fundamento: limpar!

A maioria dos detergentes comuns que habitualmente são usados para a limpeza e manutenção da casa possui, na sua constituição, substâncias poluentes e nocivas, que derivam de fontes não renováveis, potencialmente prejudiciais para a nossa saúde e para a saúde do nosso planeta. E não nos esqueçamos da quantidade de embalagens que aglomeramos e, posteriormente, deitamos fora porque o produto terminou e é necessário adquirir outra.

A procura por opções mais sustentáveis e amigas do ambiente alterou os hábitos de consumo deste tipo de produtos na nossa casa. Descobri que é possível manter uma casa limpa, sem colocar em risco a saúde da minha casa, família e planeta, fazendo os meus próprios produtos, de forma simples e económica. Nesta procura por saberes ancestrais, reencontrei produtos que são usados há gerações nas casas portuguesas. Retomar estes costumes e saberes antigos é fundamental não só para manter a nossa identidade cultural, mas também para passar estes conhecimentos às gerações futuras, contribuindo para a preservação do planeta e fazendo face a um futuro comum cheio de incertezas.

Acredito que uma casa limpa é algo precioso, contudo encorajo-vos a simplificar a vossa vida e substituir os produtos industriais de grande consumo por uma ou duas matérias-primas, que fazem exatamente o mesmo, limpam e higienizam a vossa casa. O que distingue este tipo de soluções mais naturais das restantes? O facto de a composição das mesmas ser biodegradável, ou seja, além de se decomporem rapidamente, não geram resíduos poluentes que se acumulam na natureza, e é isto que pretendemos, limpar e higienizar a nossa casa sem sacrificar o ambiente.

Ao optarmos por uma limpeza mais natural, também estamos a poupar a nossa carteira, uma vez que as matérias-primas são mais económicas e servem múltiplas tarefas.

No início, esta mudança pode parecer mais complexa, uma vez que existem diversas informações, receitas e DIY disponíveis na Internet, com informações contraditórias, complexas e diferentes terminologias. Como sou uma mulher prática, e estou aqui para ajudar nesta transição, vamos simplificar!

Vou partilhar consigo os essenciais de limpeza natural, os utensílios que considero fundamentais e algumas das minhas receitas preferidas. Espero ajudar a descomplicar e a criar o seu kit de limpeza natural.

Produtos de limpeza naturais

A grande maioria destas matérias pode ser comprada em lojas a granel, drogarias, farmácias e supermercados. São de fácil acesso, polivalentes, económicas e, acima de tudo, biodegradáveis.

Despensa

Sabão: Extraordinariamente versátil, pode ser usado na elaboração de diversas receitas. Cá por casa privilegiamos o uso do sabão de Marselha, de Castela e de coco. Pode também optar por fazer o seu sabão caseiro recorrendo a matérias‑primas como o azeite e óleo de coco, ou através do reaproveitamento do óleo de fritar.

Vinagre: Quando falamos de vinagre é importante referir que existem diferentes tipos: branco, limpeza, álcool e os alimentares. A principal diferença é o seu grau de acidez. No livro vai encontrar algumas receitas com o vinagre de álcool e com o vinagre de limpeza, que são os mais usados cá por casa. São um excelente e eficaz produto de limpeza ecológico, devido ao ácido acético. O vinagre possui uma ação desengordurante, anticalcária e neutralizadora de odores. Pode ser usado para limpar: azulejos, forno, fogão, mofo, calcário da banheira ou polibã, vidros, entre outros. Devido ao seu efeito corrosivo, há que ter especial cuidado no uso, sem diluição, em superfícies como pedras naturais e madeira.

Bicarbonato de sódio: Pode ser utilizado em diversas fórmulas caseiras. É, sem dúvida, um produto indispensável num armário ecológico: lava, desengordura e dissolve o calcário. Além das utilidades na limpeza, pode também ser usado na alimentação e beleza. De ressalvar que o uso para os três fins mencionados divergem consoante o grau de pureza. Assim, para a limpeza da casa devemos usar o “técnico”, que encontramos em drogarias e lojas de bricolagem; para a cozinha, o “alimentar”, de fácil acesso nos supermercados e lojas a granel; e para receitas de higiene e beleza devemos usar o “farmacêutico” (qualidade mais pura e controlada), que podemos adquirir na farmácia.

Carbonato de sódio: Também conhecido por cristais de soda ou potassa, é parente direto do afamado bicarbonato de sódio. Especialista na sujidade incrustada, branqueamento e remoção de nódoas. Deve ser usado sempre com água morna. É um excelente aliado para todas as receitas que necessitem de uma limpeza mais profunda.

Ácido cítrico: As possibilidades de uso são distintas. É frequentemente usado na indústria alimentar, cosmética e farmacêutica. É um excelente aliado na limpeza da casa, utilizado para descalcificar torneiras, chuveiros, sanitas, eletrodomésticos, retirar mofo, bolor e ferrugem.

Limão: Possui propriedades antisséticas e antibacterianas. Pode ser usado para limpar todo o tipo de metais, higienizar tábuas de corte e o frigorífico, como abrilhantador na máquina de lavar loiça, ambientador caseiro e muito mais. Sem esquecer uma das suas propriedades mais valiosas: o cheiro aromático.

Utensílios fundamentais

Na nossa casa fomos progressivamente implementando o uso de alternativas reutilizáveis nas diversas áreas do lar. Contudo, o conceito

MENOS É MAIS foi particularmente aplicado com determinação no que diz respeito aos adjuvantes de limpeza. Estes são poucos e alguns possuem anos de uso.

Escova de mão de madeira: São perfeitas para limpar as juntas dos azulejos, manchas de roupa ou tapetes. Pode reaproveitar as escovas de dentes e da loiça após desgaste para o mesmo fim.

Panos de tecido laváveis: Os panos possuem diversos usos: limpar bancadas, azulejos, mãos, loiça, chão, entre outros (utilizar restos de turcos, T‑shirts, panos de cozinha).

Escova ou luva vegetal: Fáceis de encontrar, as escovas de madeira com cerdas naturais ou uma lufa vegetal são ideais para lavar loiça e tachos, constituindo uma excelente alternativa às esponjas

Sabão para loiça (feito com óleo usado)

Sim, leu bem! É possível fazer uma barra de sabão para lavar a loiça usando óleo usado. O processo de saponificação é idêntico, a única diferença é que vamos aproveitar o óleo que, de outra forma, iria para o oleão para fazer o nosso sabão. Além de ficarmos com um sabão de qualidade, ajudamos o planeta e economizamos no nosso orçamento familiar.

Custo aproximado para 1 barra de sabão com 1,3 kg (13 sabonetes): 1,2 euros

Vai precisar de:

1 l de óleo de fritar usado

300 g de água destilada

150 g de soda cáustica

20 gotas de óleo essencial de limão

20 gotas de óleo essencial de alecrim

SAB
créditos: Livro "Casa Natural"

Preparação

Filtre o óleo com a ajuda de um coador.

Prepare um recipiente com água fria para colocar a mistura que vai realizar de seguida. No recipiente de vidro com a água destilada adicione com cuidado os cristais da soda cáustica, vertendo os mesmos para dentro do recipiente da água e nunca o inverso. Mexa cuidadosamente até dissolver os cristais. Esse processo deverá ser feito num local arejado ou debaixo do exaustor da cozinha. Por fim, mergulha no recipiente de água fria, para apressar o arrefecimento do preparado. Idealmente, as temperaturas devem estar entre os 40 ºC e 45 ºC.

Numa panela de inox coloque o óleo e aqueça em lume baixo.

Assim que a solução de hidróxido de sódio e o óleo tiverem arrefecido e se encontrarem entre os 40 ºC e os 45 ºC, junte lentamente a solução de hidróxido de sódio e o óleo (nunca o contrário).

Com a ajuda da varinha mágica mexa o preparado até que este comece a engrossar e atinja o ponto traço leve, algo semelhante ao ponto de estrada na culinária.

Adicione os óleos que foram escolhidos para este sabão.

Coloque a mistura num molde de silicone ou num molde de madeira forrado com papel vegetal.

Passadas 48 horas já pode desenformar e proceder ao corte. Deixe o sabão a curar durante, pelo menos, 4 a 6 semanas antes de usar.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.