Antes de projetar ou começar a elaborar
mentalmente um desenho para
o seu espaço, concentre-se em duas
questões fundamentais.

São elas o espaço que
tem (forma, tamanho, existência de sol
ou sombra e/ou de vedações) e o que pretende
que o mesmo seja (um local de lazer, um
recreio para os seus filhos e/ou um espaço
de refeições).

O seu jardim deve responder às necessidades
de quem o utiliza, pelo que
deve enumerar as mesmas e pensar no
tempo e em quanto quer investir na concretização
e manutenção do espaço futuro. Todos os espaços destinados a um jardim,
principalmente os mais pequenos, devem ser
alvos de uma avaliação de forma a elaborar
um plano o mais adequado possível, selecionando
as plantas que gostava de ter e como
pretende que o seu espaço esteja dividido
para responder às suas necessidades diárias
e da sua família.
Se o que pretende representa um
impacto financeiro elevado, uma forma de
contornar a questão é planear a realização
do seu jardim em várias fases, de
acordo com as suas prioridades.

Escolha do estilo

Gostava de ter uma mistura de flores e
perfumes diversos, um ambiente minimalista
ou um ambiente formal e tranquilo?
Adapte o estilo do seu jardim ao seu
estilo de vida e aos seus gostos. Procure fontes de inspiração em locais que costuma
frequentar e com que se identifica.

Inspire-se
em jardins como os japoneses. A presença
da gravilha metodicamente alisada e a seleção
específica de plantas podem encaixar-se
muito bem num jardim pequeno.
Um jardim deve ser um espaço para
desfrutar e não para acrescentar trabalho à
sua casa. Deve ser uma extensão da sua casa
onde se sente bem e lhe dá prazer viver.

Um dos fatores importantes a ter em
conta é a escolha das plantas, mas tenha
em atenção a sua altura. Uma árvore muito
grande num espaço pequeno com outras
plantas pode dominar demasiado o conjunto
ou provocar um desequilíbrio. Ao mesmo
tempo, as árvores altas poupam espaço
no chão e trazem a vantagem de produzir
sombra, fazem de suporte para uma rede
de dormir ou permitem a construção de um
banco na sua base.


Num jardim pequeno, procure combinar
o tipo de revestimentos com os materiais da
sua casa. Numa casa revestida de pedra, a
criação de um pavimento em pedra criará
uma extensão à casa e dará
ao seu jardim uma dimensão
diferente.


Veja na página seguinte: Como criar ilusões no seu jardim

Criação de ilusões

Nos jardins pequenos, o design
deve entrar em jogo com o espaço,
criando a ilusão deste ser maior.


A divisão do jardim em áreas é uma forma
de criar no observador a imagem de uma
maior dimensão e a curiosidade de explorar
as outras áreas.


Num espaço retangular ou quadrado,
pode criar a imagem de uma maior dimensão,
orientando o eixo do jardim para ficar
em ângulo de 45º com a casa, explorando a
linha diagonal (mais longa).

Se pretende colocar muitas plantas num
espaço pequeno, uma forma de as conseguir
dispor é explorando os desníveis do espaço,
quando existem, ou a criação de canteiros
elevados. A disposição das plantas pode ser
feita jogando com a altura de cada espécie
a colocar. Pode também plantar na vertical,
revestindo uma parede ou fachada.

Não coloque muitos objetos que irão dar
uma sensação de cheio e reduzir a dimensão
visual. Opte por poucos objetos mas de
maiores dimensões.
Coloque as plantas mais altas no
primeiro plano e as mais baixas nos planos
seguintes. O efeito visual do que está mais
distante parecer menor irá fazer com o seu
jardim pareça maior.

Opte por vedações abertas, permitindo
maior entrada de luz e aumentando visualmente
o seu espaço.
Qualquer espaço exterior, uma varanda,
um pátio ou um terraço pode ser
explorado como um jardim. Planeando e
pondo em prática algumas destas dicas,
pode transformar o seu jardim pequeno
num espaço com vida.

Texto: Bruno Aguiar (engenheiro do ambiente e de recursos naturais)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.