Esta planta arbustiva originária da Austrália, é muito resistente e ornamental, podendo ser utilizada no jardim, em vasos ou em floreiras. "Dependendo da variedade, pode atingir um tamanho de 0,50 centímetros a quatro metros de altura", sublinha Teresa Chambel, arquiteta paisagista, blogger, autora de livros de jardinagem e diretora da revista Jardins. "A flor-de-cera tem este nome pois o interior da sua flor, com um fundo ceroso, parece uma vela com um pavio", justifica ainda a especialista.

"Até agora, na Europa, só eram comercializadas as variedades de flores-de-cera produzidas em Israel, mas desde 2017 começaram a ser comercializadas também as variedades australianas com grande sucesso, pois as cores são mais variadas e exuberantes e as flores duram mais tempo na planta", esclarece Teresa Chambel. "Normalmente, consoante a variedade, o período de floração pode começar em fevereiro e terminar em maio", informa ainda a arquiteta paisagista e blogger.

Em Itália, a produção cresce a cada ano, com mais 20.000 plantas a serem produzidas no início da década de 2020, chegando a produção total a 70.000 plantas. "Eu tenho em casa a variedade My Sweet 16, que tem uma particularidade de que gosto muito", confidencia a diretora da revista Jardins, que mostra o seu exemplar no vídeo que se segue. "As flores começam brancas, passam a cor de rosa claro e, depois, a um cor de rosa mais escuro", revela ainda a especialista em jardinagem.

Estas plantas precisam de zonas de sol direto, de substratos bem drenados e de solos ácidos e pouco férteis. "Eu usei o substrato para próteas", esclarece Teresa Chambel. "A flor-de-cera dá-se bem no jardim, em vaso ou em floreira. No primeiro ano, as flores-de-cera precisam de mais água, pois as raízes estão a desenvolver-se. A partir do segundo ano, uma rega por semana em períodos de maior seca", informa a especialista. Muito resistente à geada e ao frio, suporta temperaturas até -5º C.

Também reage bem ao calor. "Não suportam fertilizante em excesso, mais vale a menos do que a mais", avisa a diretora da Jardins. "Na primavera e no verão, pode fertilizar duas vezes por mês. No outono e no inverno, não deve fertilizar", adverte ainda. "Regue semanalmente", aconselha Teresa Chambel. "Deve ser podada a seguir à floração, cortando os ramos mais tenros, pois o objetivo é que fique uma planta compacta e cheia", sublinha a autora do livro "Um jardim para cuidar".

"Pode ter de a podar até cinco a seis vezes antes do final do verão, porque é nessa época que se dá o grande crescimento desta planta", acrescenta a blogger de jardinagem portuguesa. "A poda é muito importante para a forma da planta e para a sua produção de flores no ano seguinte", alerta ainda. A Chamelaucium é um género botânico pertencente à família das Myrtaceae, que integra plantas arbustivas endémicas do sudoeste da Austrália. A mais conhecida é a flor-de-cera-de-geraldton.

E se cultivasse uma flor-de-cera? Esta planta arbustiva, originária da Austrália, é ornamental e muito resistente

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.