A prevenção é o meio mais eficaz de controlo de pestes nas
orquídeas. Saiba o que pode fazer para evitar colocar em risco
o bem estar das suas plantas.

As orquídeas não são plantas
muito suscetíveis a pestes mas é importante
conhecer os bicharocos que, por vezes, podemos
encontrar nelas e que as podem danificar ou fragilizar,
de modo a que seja mais fácil apanharem
doenças que se revelam mais difíceis de tratar.
Os pulgões e outros afídeos serão talvez os
mais comuns.

Atacam em colónias nos botões e
rebentos mais tenros da planta, alimentando-se
da sua seiva. Podem ser eliminados facilmente
com inseticida para plantas. Os ácaros são mais difíceis de eliminar
porque põem ovinhos microscópicos que eclodem
passados muitos dias. Quando pensamos
que estão eliminados, nasce uma nova geração
destes pequenos aracnídeos que depressa se
propagam. Picam as folhas, sugando a clorofila.

As folhas começam a amarelecer e acabam por
cair. Existem acaricídas específicos para eliminar
estas pragas. As cochonilhas podem ter o aspeto de
pequenas lapas ou de algodão branco. Podem
ser encontradas nas partes mais tenras e menos
acessíveis das plantas. No verso ou nas axilas
das folhas, nos novos rebentos, botões, florações,
entre outras.

São fáceis de controlar no início com
um produto de limpeza, se deixarmos a
peste se desenvolver muito, teremos que recorrer
a um inseticida específico. Os caracóis e lesmas são atraídos pela
humidade e em pouco tempo podem destruir uma
planta, atacando os locais mais tenros do vegetal
e até mesmo as flores depois de abertas.

São mais
visíveis à noite e existem no mercado iscos ou
venenos que se podem usar para controlar estes
invasores comilões. Outros insetos como escaravelhos, vespas,
formigas, moscas, lagartas e milípedes podem
ser destrutivos mas aparecem raramente e são
eliminados com uma limpeza à planta ou o uso de
um inseticida para plantas.

Depois desta breve descrição sobre as pestes
possíveis de serem encontrados nas nossas
orquídeas, resta referir que o mais importante
é a prevenção. Manter o local onde temos
as nossas plantas limpo e termos cuidado de, ao
comprar novas plantas, não as colocar logo juntas
à nossa coleção sem uma inspeção cuidadosa
ou mesmo uns dias de quarentena para evitar
contágios, são dois fatores importantes para prevenir
a proliferação de pestes que põem em risco
o bem estar das nossas plantas.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.