Como sabemos, o feng shui é a disciplina onde estudamos a interacção do indivíduo com o seu espaço, e esse estudo faz-se através da leitura dos diferentes fluxos de energia de modo a podermos tirar partido dos mesmos e assim termos uma vida mais facilitada. Por outras palavras, podemos ter o ambiente a conspirar a nosso favor, ou não. Ao harmonizar um espaço estamos a torná-lo mais adequado a quem o utiliza. O mesmo espaço pode ser utilizado de diferentes formas pela mesma pessoa ou até mesmo por diferentes pessoas, e é por isso que no feng shui, tal como noutras disciplinas que promovem o bem-estar do indivíduo, não podemos trabalhar com “receitas”.

Cada espaço tem as suas próprias características, cada indivíduo tem as suas necessidades ou diferentes formas de viver. Uma mesma pessoa passa por diferentes fases na sua vida, na sua maneira de pensar e de viver. E por isso mesmo, o feng shui não deve ser visto como algo estático onde se harmoniza apenas o espaço físico, mas sim como algo dinâmico onde o factor tempo está sempre presente. Um edifício com características estruturais mais yang (forte, robusto, fechado) com paredes grossas e materiais como alvenaria e pedra, possui uma qualidade energética mais yin (escuro, suave, lenta), e que o contrário também se observa, ou seja, um edifício de estrutura mais yin (frágil, aberto) com paredes em vidro, possui uma qualidade de fluxo energético mais yang (luminoso, rápido, activo). Á semelhança do edifício, nas pessoas podemos estudar também a sua personalidade, muito robustas por fora para proteger a sua fragilidade interior, ou ao contrário, muito abertas e flexíveis por fora em consequência da sua segurança interior.

Já pensou porque é que diferentes pessoas têm gostos ou necessidades diferentes?
Factores culturais, sócio económicos, idade, profissão..., mas como se não bastasse temos ainda as características energéticas do cosmos do dia e hora em que cada indivíduo nasceu. Esta é uma das heranças que nos pode ajudar a encontrar o equilíbrio e a forma de viver em harmonia. Tal como em tudo que vem da natureza ou que é natural vivemos através de ciclos. Primeiro é preciso nascer, depois desenvolver e por depois morrer. Sabemos que depois do dia vem a noite, depois da luz a sombra e por aí fora. Num só ano temos diferentes estações com diferentes características, umas mais quentes e que nos deixam mais activos, outras mais frias que nos convidam ao recolhimento.

Quando olhamos para a vida dos seres e para a natureza com um olhar global, precisamos de ter em conta todos os diferentes factores e é aí que o feng shui e a astrologia andam de mãos dadas. Todos fazemos parte de um mesmo mas todos somos indivíduos com características próprias que ditam as nossas diferentes necessidades e diferentes estados de equilíbrio e de harmonia quer connosco próprios quer com tudo o que nos rodeia. Penso que agora é bastante clara a ideia de que cada estudo de feng shui deve ser sempre acompanhado de um estudo energético ou astrológico das diferentes pessoas que utilizam os diferentes espaços.

Para mais informações, visite: www.fluir.com.pt.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.