Quer seja para um amigo no aniversário, ou simplesmente para surpreender alguém de quem se gosta, um livro é sempre a oferta ideal. Eis algumas das melhores razões para os oferecer.

1. Os livros são presentes versáteis

As opções de escolha são praticamente ilimitadas. Há sempre um livro adequado a cada pessoa, a cada gosto e personalidade, capaz de arrancar um sorriso, um suspiro, ou mesmo um brilho nos olhos.

Uma Horta Para Ser Feliz, Marc Estévez Casabosch

Mesmo que não se tenha muito espaço em casa, é sempre possível fazer crescer uma pequena horta: alfaces na varanda, tomates no terraço, abóboras em vasos e morangos no pátio das traseiras... Eis um guia para saber por onde começar.

Petiscos, Gordon Ramsey

O conhecido chef Gordon Ramsay revela os seus petiscos favoritos, com base na gastronomia inglesa e em todas as suas variadas influências. Um livro repleto de pratos simples, reconfortantes e cheios de sabor e tradição.

2. Oferecer um livro é oferecer emoções

Um livro nunca é só um livro. É um portal para outro mundo, seja romance, história, ação, sabores, conhecimento, poesia. É um concentrado de emoções e possibilidades num só presente.

Os Muitos Nomes do Amor, Dorothy Koomson

Da mesma autora de "A Filha da Minha Melhor Amiga", este romance aborda temas de grande pertinência como o racismo, o abandono e a traição. Será possível termos um futuro sem conhecermos o nosso passado?

Já Então a Raposa era o Caçador, Herta Müller

Herta Müller é uma das mais proeminentes autoras de língua alemã, vencedora do Nobel da Literatura em 2009. O cenário deste romance é a Roménia nos últimos dias do regime de Ceausescu, numa atmosfera onde o medo e o horror são omnipresentes.

3. Os livros são presentes acessíveis

Existem livros para todos os bolsos e carteiras, e basta uma rápida pesquisa para descobrir boas oportunidades e promoções. E, claro, são mais baratos do que diamantes.

O Piropo Nacional

O piropo é universal, mas, como sempre, nós achamos que o nacional é que é bom. Há quem discuta o bom ou mau gosto de alguns trocadilhos, mas a verdade é que o piropo faz parte da nossa cultura e, dependendo da situação, até pode arrancar algumas gargalhadas a quem o ouve.

A Última Noite de um Tirano, Yasmina Khadra

Através de um mergulho vertiginoso na mente de um tirano sanguinário e megalómano como Khadafi, Yasminha Khadra traça o retrato universal de todos os ditadores depostos.

 4. Os livros nunca passam de moda

Um livro escrito há 100 anos pode ser tão sensacional como um publicado recentemente. É um presente intemporal, que se adapta ao estilo pessoal de cada um, e que se pode voltar a folhear sempre que se queira.

1984, George Orwell

Nesta obra-prima, Orwell apresenta-nos uma sociedade distópica, onde o Big Brother vigia cada movimento, cada passo em falso. Um clássico incontornável da literatura, que permite entender as realidades e o terror do poder político num mundo uniformizado.

Oliver Twist, Charles Dickens

Uma versão condensada do grande clássico de Charles Dickens. Em plena Revolução Industrial, Oliver Twist vive num orfanato e procura sobreviver numa sociedade marcada pela fome, miséria e violência. Até que um dia consegue fugir para Londres e as aventuras começam.

5. Oferecer livros é uma boa forma de impressionar

Quando se oferece um livro que apela ao imaginário, aos sonhos ou mesmo às fragilidades de alguém, mostramos que nos preocupamos com essa pessoa e que a conhecemos de facto.

Apenas Miúdos, Patti Smith

Nome maior do rock, Patti Smith navega entre a música e a poesia. Este é o seu primeiro livro em prosa: trata-se de um conjunto de memórias, com início no verão em que Coltrane morreu, na década de 1960. Foi nessa altura que conheceu o lendário fotógrafo americano Robert Mapplethorpe, a figura central deste livro.

As Grandes Cidades da História, John Julius Norwich

Uma viagem no tempo através das cidades mais importantes da História. Da primitiva cidade de Uruk, passando por Babilónia, Atenas, Roma, Londres ou Lisboa, até às contemporâneas como Tóquio e Nova Iorque, ao longo de milénios várias cidades desempenharam um papel fundamental na construção da nossa civilização.

 

6. Um livro leva-nos a qualquer lado

E isto, sem sairmos do mesmo sítio. Por isso, quando oferecer um livro, pense que não está a oferecer palavras escritas em papel — está, sim, a oferecer uma viagem, uma aventura, uma descoberta, uma autêntica janela para o mundo.

Extremo Ocidental, Paulo Moura

O jornalista Paulo Moura leva-nos numa viagem pelo nosso país, percorrendo a costa portuguesa de Caminha a Monte Gordo. Uma coleção de achados de viagem que é ao mesmo tempo um ensaio sobre a identidade portuguesa.

A Estrada da Salvação, Brendan Mcmanus

A tocante história de um padre jesuíta que encontrou as respostas espirituais que buscava no lendário Caminho de Santiago. Por vezes, uma longa caminhada pode ser a melhor cura para uma alma perdida.

 Para todos os gostos, personalidades e idades, na WOOK encontra as melhores oportunidades de leitura.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.