Os portugueses estão a comprar e a ler menos revistas. De acordo com os últimos números oficiais da Associação Portuguesa de Controlo de Tiragens (APCT), a tendência de queda que se tem vindo a agravar nos últimos anos acentuou-se em 2019, com muitos títulos a registarem quebras. A revista feminina Happy Woman foi uma das que mais desceu, tendo vendido menos 44% de exemplares. A revista Cristina, que este mês comemora o seu quinto aniversário, perdeu 39% dos leitores.

A Ana vendeu menos 29% e a Maria menos 19%. Nas revistas de sociedade, tal como também sucede no segmento das publicações de televisão, os números não são dos mais entusiasmantes. A Lux caiu 14%, a Caras e a VIP viram a procura regredir em 10% e a Nova Gente recuou 7%. A TV 7 Dias registou, entre janeiro e dezembro do ano passado, uma quebra de 17%, passando de 74.601 exemplares vendidos mensalmente em banca em 2018 para os 61.664 em 2019.

A TV Mais terminou o ano com uma quebra de 31.772 para os 28.492, o que equivale a uma redução na ordem dos 10%. Ao longo do ano que passou, a TV Guia, uma publicação da Cofina, que se prepara para liderar a TVI, foi uma das poucas que conseguiu manter as vendas. Em 2018, a revista tinha conseguido escoar mensalmente 45.675 exemplares em banca. Em 2019, vendeu 45.604. No segmento das revistas de televisão, sociais e femininas, é a única a manter os números.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.