Em entrevista ao programa de televisão "5 para a meia-noite", apresentado por Filomena Cautela e Inês Lopes Gonçalves na RTP1, João Miguel Tavares revelou, no passado dia 20 de junho, que costuma trocar mensagens escritas com o primeiro-ministro, António Costa. "Ele já me mandou emojis, sim. É homem de mandar emojis, confirmo", assumiu o jornalista, cronista e comentador em direto na (já) famosa rubrica "Pressão no ar".

"Não faço a mínima ideia mas o que ele mais usa deve ser o do sorriso. Muitas vezes, quando há uma troca de mensagens, é a picar-nos um ao outro e, depois, mandamos um sorrisinho, que é aquela maneira de dizer que fui extremamente desagradável mas, por favor, não leve a mal", refere João Miguel Tavares. "Já ninguém usa lol, até porque há uma quantidade maluca de emojis a sorrir", sublinha o cronista e comentador.

São milhões os que usam emojis mas nem todos o fazem da mesma maneira
São milhões os que usam emojis mas nem todos o fazem da mesma maneira
Ver artigo

À semelhança do primeiro-ministro português, mais de 92% dos utilizadores globais de telemóveis, tablets e computadores recorre a figuras coloridas para expressar emoções nas (muitas) mensagens que trocam quotidianamente. Além de facilitarem a comunicação, têm a vantagem de aligeirar o discurso em momentos difíceis, ainda que também possam ter um efeito contrário. "Os emojis não estão, de forma alguma, a diminuir a nossa capacidade de linguagem escrita. Pelo contrário, estão a aumentá-la, atribuindo um tom que as palavras escritas por vezes não têm", considera Emmy J. Favilla.

"Eles são, num certo sentido, a forma mais evoluída de pontuação que temos à nossa disposição", assegura a guru da gramática moderna, autora do livro "A world without 'Whom': The essential guide to language in the BuzzFeed age". Apesar de existirem 11 emojis com significados distintos em diferentes países no planeta, o mundo abraçou-os num ápice e, anualmente, a 17 de julho, assinala-se o Dia Mundial do Emoji.

John Holcroft apela à reflexão. 35 ilustrações que mostram o que está mal no mundo
John Holcroft apela à reflexão. 35 ilustrações que mostram o que está mal no mundo
Ver artigo

Não é de hoje. Há muito que as pequenas figuras coloridas que usamos para comunicar se tornaram num fenómeno global. Muitos especialistas asseguram que é a linguagem que mais rapidamente cresceu no Reino Unido e até Hollywood já fez um filme sobre elas. "Se continuarmos a digitar nos nossos dispositivos digitais, nos nossos tablets e telemóveis, o teclado dos emojis continuará a fazer parte das nossas vidas", acredita Keith Broni, a primeira pessoa a ser contratada por uma empresa, a Guildhawk, para traduzir emojis. "Eles vieram para ficar", disse ao canal noticioso britânico Sky News.

Entretanto, nos próximos meses, anunciam-se novos emojis. Além de cadeiras de rodas, aparelhos auditivos, próteses e até cães-guia, símbolos de inclusão, já foram revelados três que representam um casal heterossexual inter-racial, um casal homossexual inter-racial e um casal lésbico inter-racial. Há também novos animais, como o flamingo cor de rosa, a preguiça e a doninha. Os utilizadores de carros elétricos também vão ter um.

Os emojis invadiram a vida quotidiana. António Costa, primeiro-ministro, é um dos milhões que os usam

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.