Comemora-se em todo o país o dia nacional da prevenção do cancro da mama.

È uma das mais graves ameaças à vida e saúde das mulheres.

Em Portugal são diagnosticados cerca de 3500 novos casos.

O papel da prevenção reside fundamentalmente no diagnóstico precoce, pois o processo causador da doença é muito complexo e são responsáveis não apenas um factor, mas sim múltiplos e variados factores que nos rodeiam.

O diagnóstico precoce do cancro da mama é fundamental para a cura da doença.

Assim as recomendações mundiais assentam unanimemente na realização periódica de Mamografias , para que em casos desenvolvimento de um tumor, o diagnosticado se faça numa fase muito inicial e curável.

Geralmente o cancro da mama é traiçoeiro no seu desenvolvimento, não dá sintomas e só mais tarde pelo seu crescimento agressivo vai envolvendo as estruturas vizinhas e torna-se palpável.

Assim, alem da Mamografia, o auto-exame mamário realizado pela mulher é fundamental para conhecer a forma da glândula e detectar alguma alteração e procurar o sem médico de imediato.

A idade de início de Mamografia para um verdadeiro rastreio de mulheres sem sintomas deverá ser iniciado aos 45-50 anos e periodicamente.

Há famílias, onde se assiste a cancro da mama que atingem vários membros assumindo características específicas devendo todas as mulheres serem submetidas a rigoroso controlo mais periódico ou realização de testes genéticos.

A mensagem fundamental é diagnosticar cada vez mais cedo, para a cirurgia realizar a cura do cancro.

Muito se tem progredido nos diagnósticos precoces mas estamos ainda longe de atingir o ideal.

As campanhas de sensibilização para o rastreio, mesmo com a convocação das mulheres oficialmente para o efeito, apenas colaboram cerca de 60%.

Contudo, graças aos rastreios cada mais divulgados, tem aumentado o diagnóstico de tumores mais precoces.

Nestes casos, é actualmente possível realizar cirurgias menos agressivas e não mutilantes para a mulher.
Estamos na era da cirurgia minimamente invasiva, isto é, a cirurgia que poupa a glândula mamária.

A evolução da técnica na Cirurgia do Cancro da Mama levou a introduzir recentemente uma nova metodologia na abordagem cirúrgica.

Esta nova era na Cirurgia do Cancro da Mama merece uma divulgação desta nova tecnologia com processos técnicos inovadores menos invasivos, menos mutilantes, com uma melhor qualidade de vida no pós-operatório, redução do tempo de internamento e das consequências crónicas induzida aos doentes pela mutilação agressiva.

Actualmente uma mulher com um diagnóstico precoce, realizará a cirurgia mínima da mama e da axila com internamento de 24-48 horas podendo retomar a sua actividade regular.

O objectivo é pesquisar gânglios axilares durante a cirurgia, que não sendo ainda atingidos pela doença se evitem grandes agressões na axila desnecessários. É a cirurgia denominada de Gânglio Sentinela.

Esta cirurgia é ainda apenas realizadas em alguns centros de referência de cirurgia de cancro, pois exige uma técnica especializada e uma equipe de vários especialistas envolvidos com experiência.

Assim a cirurgia permanece o mais efectivo tratamento do cancro da mama e continua a ser cada vez mais a realização da cirurgia conservadora ao longo deste últimos anos, e será cada vez mais realizada quanto mais precoce o diagnóstico for realizado.

Texto: Dr. Fleming de Oliveira
Director do Departamento de Cirurgia

Director da Unidade de Patologia Mamária

Hospital Pedro Hispano - Matosinhos

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.