"Uma praia ZERO poluição é aquela em que não foi detetada qualquer contaminação microbiológica nas análises efetuadas às águas balneares ao longo das três últimas épocas balneares. Em 2022, as praias com ZERO poluição representam 9% do total das 643 zonas balneares em funcionamento, um aumento de 9 pontos percentuais, mais 5 praias, em relação às 53 classificadas no ano passado", começa por informar a ZERO em comunicado.

Todas as praias classificadas o ano passado como praias ZERO poluição estão classificadas, ao abrigo da legislação, como praias com qualidade da água “excelente”. Porém, na maioria das vezes, à custa de uma única análise onde foi detetada a presença de microrganismos, mesmo que muito longe do valor-limite, deixaram de poder ser consideradas praias ZERO poluição. "Pela positiva merece destaque a entrada de cinco praias de Albufeira que não tinha nenhuma no ano passado, e a passagem de uma para cinco praias de Aljezur. Lourinhã e Vila Nova de Gaia deixaram tinham duas praias ZERO o ano passado e deixaram de estar representados. Em termos de balanço, saíram da lista do ano passado 12 praias e entraram 17 novas", refere a nota.

Esta análise da Associação ZERO teve em conta os parâmetros da legislação em vigor. Os concelhos com maior número de praias ZERO poluição são Albufeira e Aljezur com cinco praias, Tavira com quatro e Alcobaça, Faro, Porto Santo (Madeira), Sesimbra, Vila do Bispo e Vila do Porto (Santa Maria, Açores) com três. De referir que há 46 praias ZERO no Continente em 21 concelhos, oito nos Açores em seis concelhos e quatro na Madeira em dois concelhos.

"De salientar que é extremamente difícil conseguir um registo incólume ao longo de três anos nas zonas balneares interiores, muito mais suscetíveis à poluição microbiológica. À semelhança do que aconteceu nos anos de 2016 (ano em que a ZERO iniciou esta avaliação) a 2019, há uma zona balnear interior com a classificação de ZERO poluição – a Albufeira de Alfaiates no concelho do Sabugal. Todas as restantes praias são consideradas 'costeiras', exceto uma praia em zona estuarina classificada como de 'transição'. Este facto é um indicador do muito que ainda há a fazer para garantir uma boa qualidade da água dos rios e ribeiras em Portugal, o que requer esforços adicionais ao nível do saneamento urbano e das empresas", lê-se no comunicado.

O que é uma praia ZERO poluição?

A partir de dados solicitados à Agência Portuguesa do Ambiente, a Associação ZERO identificou as praias que, ao longo das três últimas épocas balneares (2019, 2020 e 2021), não só tiveram sempre classificação 'excelente' como apresentaram valores zero ou inferiores ao limite de deteção em todas as análises efetuadas aos dois parâmetros microbiológicos controlados e previstos na legislação (Escherichia coli e Enterococos intestinais). Isto é, em todas as análises efetuadas não houve sequer a deteção de qualquer unidade formadora de colónias. Consideram-se três anos por corresponder ao período mínimo habitualmente requerido pela Diretiva 2006/7/CE do Parlamento Europeu e do Conselho de 15 de fevereiro de 2006, relativa à gestão da qualidade das águas balneares, para se proceder à classificação da qualidade da zona balnear.

Alguns alertas de época balnear

A ZERO selecionou alguns aspetos que considera cruciais neste início de época balnear em muitas praias:

  • Por razões ambientais e de segurança, só devem ser frequentadas praias classificadas como zonas balneares, onde há vigilância e onde se conhece a qualidade da água;
  • Não devem ser deixados quaisquer resíduos na praia e, sempre que possível, devemos encaminhá-los através da recolha seletiva. Cuidados adicionais deverão ser tomados ao deitar fora luvas e máscaras. Mais de 80% dos 12,2 milhões de toneladas de plástico que entram no ambiente marinho em cada ano vêm de fontes terrestres, sendo o maior contribuinte o lixo de plástico, incluindo itens como garrafas de bebidas e outros tipos de embalagens. Este ano também estão a ser detetados resíduos consideráveis e máscaras e luvas no Mediterrâneo;
  • Deve-se preservar a paisagem e os ecossistemas envolventes das zonas balneares, evitando o pisoteio de dunas ou outras áreas sensíveis.

Veja a lista

  • CASTELO
  • COELHA
  • EVARISTO
  • FALÉSIA ALFAMAR
  • MANUEL LOURENÇO
  • ÁGUA DE MADEIROS
  • LÉGUA
  • PEDRA DO OURO
  • AMOREIRA-MAR
  • ARRIFANA
  • BORDEIRA
  • MONTE CLÉRIGO
  • VALE FIGUEIRAS
  • PRAIA DO MAR
  • FORTE DO CÃO
  • FÃO-OFIR
  • SUAVE MAR (TRANSIÇÃO)
  • BARRETA
  • CULATRA-MAR
    ILHA DO FAROL-MAR
  • ANCÃO
  • QUINTA DO LAGO
  • COXOS
  • FOZ DO LIZANDRO-MAR
  • SALGADO
  • VALE DE JANELAS
  • ALTEIRINHOS
  • ARMONA-MAR
  • BALEAL-CAMPISMO
  • BALEAL-SUL
  • ALBUFEIRA DE ALFAIATES (NO INTERIOR)
  • BICAS
  • LAGOA DE ALBUFEIRA-MAR
  • MOINHO DE BAIXO-MECO
  • ADRAGA
  • GRANDE
  • BARRIL
  • CABANAS-MAR
  • TERRA ESTREITA
  • AFIFE
  • ARDA
  • CASTELEJO
  • CORDOAMA
  • MARTINHAL
  • VILA CHÃ
  • CAIS MOURATO
  • PRAINHA (PRAIA DA VITÓRIA)
  • SANTA CRUZ DAS FLORES
  • POÇAS DE SÃO ROQUE
  • PREGUIÇA-VELAS
  • FORMOSA
  • MAIA
  • SÃO LOURENÇO
  • LAJE
  • PORTO SANTO - CABEÇO DA PONTA
  • PORTO SANTO - LAGOA
  • PORTO SANTO - RIBEIRO COCHINO

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.