Insatisfação na ocupação atual. Equilíbrio vida-trabalho. Estagnação na carreira. Curiosidade por outras áreas. Mesmice da rotina. Ambição financeira. Más condições de emprego. Senso de propósito. Desemprego. Tempo de qualidade. Sobrevivência. Desejo de inovar. Mudança de país. Fazer o que ama. Independência e autonomia. Construir um legado. Gerar rendimento passivo. Desenvolver novas competências...

Estas e outras razões misturam-se para que uma pessoa meta as mãos à obra e decida empreender. E eu poderia citar muitas outras que a fazem continuar o seu projeto.

Hoje quero convidar-vos a pensar em cinco razões mais uma para empreender num negócio que não é novidade alguma, mas que já transformou a vida de muitas pessoas.

1. Custo inicial baixo e risco partilhado

Para abrir um negócio há sempre investimento inicial de tempo e de dinheiro, porque os negócios não se fazem sozinhos. Exigem fé e dedicação e, via de regra, o risco é todo suportado pela pessoa que empreende.

Todavia, existem modelos em que o investimento inicial pode ser mesmo muito pequeno e os riscos partilhados. É o que acontece quando o empreendedor ou a empreendedora desenvolve a sua atividade com a chancela de uma marca, com todo o prestígio comercial que ela tem e com o seu respaldo institucional e operacional.

2. Estrutura de formação

Se esta marca oferece, além desse suporte, uma estrutura de capacitação e aprendizagem continuada, acreditem: é um lugar onde podem crescer a sério, pois as atividades que prosperam são aquelas marcadas pela constante atualização.

Onde há cultura de formação, há uma verdadeira dedicação ao cliente. E o cliente é a chave de qualquer negócio bem sucedido.

Portanto, empreender com uma marca que está sempre a perceber as necessidades e desejos do seu público, a desenvolver soluções adequadas e que procura ensinar isso periodicamente aos seus representantes, é a receita para o crescimento exponencial.

3. Ganhos ilimitados

E, quando se fala em crescimento exponencial, estamos a falar de ganhos ilimitados. Para já, vão dizer que não é possível. Biologicamente, temos o limite da saúde. Filosoficamente, o do tempo. Economicamente, o do mercado. Politicamente, o do governo. Pessoalmente, o das nossas competências. Socialmente, o da cultura.

Entretanto, basta poucos minutos para pararmos e observarmos os negócios que estiveram e estão em franco crescimento e constataremos o traço comum entre eles: a mentalidade de soluções.

Uma pessoa empreendedora é uma pessoa criadora de alternativas, portanto, todos os limites que se apresentam são contornados com estratégia, capacitação e atitude. É daí que vêm os ganhos ilimitados.

4. Agenda flexível

Existe a crença coletiva de que, para ganhar muito, há que se trabalhar também muito. É o modo hard working, que até funciona, mas já foi atualizado.

A filosofia de quem empreende com sucesso é o smart working, que faz da flexibilidade de horários uma mais valia no desenvolvimento do negócio, de tal modo que, se está a trabalhar por duas horas, são duas horas a sério.

Pode estar com seus miúdos quando não estão na escola, ou tirar um mestrado, ou passar as tardes a treinar para uma maratona e, no tempo que dedicar ao seu negócio, dedicar com foco, proatividade, planeamento, visão clara, espírito de missão, valores alinhados, compromisso e disciplina.

5. Reconhecimento

O tempo é o mais justo dos recursos, que responde ao ser humano conforme é por ele bem ou mal aproveitado. Nessa linha, o resultado de um bom trabalho sempre vem, a começar por ter clientes.

Entretanto, a fatura paga não é o elemento que basta para nos estimular a continuar a fazer um bom trabalho. Afinal, o dinheiro na conta é apenas o preço que o cliente paga por um valor inestimável que lhe entregamos.

O reconhecimento é que é um dos maiores e mais poderosos fatores de estímulo profissional, pois nos mantém em marcha. Ora, quem empreende costuma ter um quê de “lobo solitário”, sem pares nem superiores, e pode ficar um bocadinho em desvantagem.

Porém, se tem o privilégio de empreender com uma marca consolidada, de certeza que estará imerso numa cultura de reconhecimento, prémios, menções honrosas, homenagens, pois quem já é grande, sabe como nos tornar grandes.

5+1. Transição de carreira e desenvolvimento profissional

Se está num trabalho por conta de outrem e deseja criar um negócio numa área do seu gosto, por exemplo, atuar no imobiliário como consultor(a) pode ser o elemento-chave do seu plano de transição rumo à realização do seu sonho, pois além de poder ser desenvolvido em part-time, pode ser uma incrível fonte de, primeiro, rendimentos e, principalmente, de competências essenciais para todo o empreendedor.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.