O que aconteceu aos preços dos imóveis?

Nos últimos anos vivemos uma montanha russa nos preços dos imóveis. De uma altura em que os preços estavam loucos, passamos para momentos em que os preços estão deprimidos (que coincidiu, também, com o aumento do crédito malparado) e agora temos de novo os preços em alta. Claro que aqui falamos nas principais cidades do país.

Como podemos justificar esta subida de preços?

A subida do preço dos imóveis deveu-se a um conjunto de fatores que importa ter em conta:

1. Aumento da procura de imóveis para turismo, nomeadamente alojamento de curta duração;

2. Aumento da procura de imóveis pelos estrangeiros, nomeadamente por questões de vistos dourados mas também pela maior atratividade das nossas cidades para viver e para as reformas (temos um sistema de benefícios fiscais interessante para reformados de outros países);

3. Aumento da concessão de crédito, com a banca a voltar a dar crédito de forma agressiva depois de vários anos com a “torneira fechada”.

Como percebemos, temos aqui por um lado o efeito do aumento da procura mas que não consegue ser satisfeita pelo aumento da oferta. Aliás, sabemos que a oferta de imóveis é demorado pois os projetos demoram bastante tempo e não há assim tanto espaço disponível para construir grandes empreendimentos.

O crédito habitação tem alguma responsabilidade

Se nos momentos de depressão dos preços do imobiliário o crédito habitação (ou falta dele) teve um impacto profundo, vemos agora que esta maior abertura ao crédito também tem o seu impacto. Aliás, a maior facilidade de acesso ao crédito veio levar o Banco de Portugal a aprovar novas leis para limitar o crédito. Se existe crédito disponível torna-se mais fácil comprar casas e se conseguimos ter esta facilidade com mais probabilidade podemos fazer ofertas maiores pelo mesmo imóvel.

Será que o preço do imobiliário se vai manter?

Esta é uma pergunta de um milhão de euros (ou mais). Ninguém pode adivinhar o futuro. O certo é que o país continua a viver momentos de Turismo e de atratividade fiscal que poderão trazer aqui algum suporte. Os preços já nivelaram com os preços de outras capitais europeias. Mas estamos sempre dependentes do contexto externo e também interno.

Como aproveitar o acesso mais facilitado ao crédito habitação?

Para aproveitar esta boa onda do crédito habitação, sugerimos que transfira o seu crédito habitação para um banco que lhe confira uma taxa de juro mais baixa. Se está à procura de uma casa, tenha em mente que deve ter algum dinheiro para dar de entrada mas que também poderá negociar condições com a banca para conseguir um spread mais barato. Tenha em mente que é fundamental que consiga poupar dinheiro com a sua relação bancária e que uma decisão de crédito hoje tem um impacto duradouro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.