O período de entrega da declaração do IRS terminou no passado dia 30 de junho. Por lei, a Autoridade Tributária (AT) tem até 31 de agosto para devolver aos contribuintes o IRS que foi retido na fonte a mais. No entretanto, são muitas as famílias que aguardam esta devolução para fazer face a algumas despesas, principalmente num momento como este, em que muitos portugueses tiveram cortes severos nos seus rendimentos.

Neste artigo vamos nomear algumas soluções eficazes onde pode aplicar o seu reembolso para equilibrar as suas finanças pessoais ou do seu agregado familiar. Se ainda estiver a aguardar o montante, pode consultar o estado do reembolso através do Portal das Finanças.

1. Crie um fundo de emergência

Constituir um fundo de emergência, também conhecido como uma reserva ou pé de meia, deve ser encarado como um objetivo prioritário. É este fundo que vai permitir fazer face a qualquer imprevisto que possa surgir na sua vida, como uma situação de desemprego ou simplesmente uma avaria no automóvel ou na sua casa. Por isso, vale a pena pensar se não será rentável criar um com uma parte do valor que recebeu ou vai receber.

2. Aproveite para liquidar as suas dívidas

Sejam relativas a um empréstimo, ao cartão de crédito, à Segurança Social ou a uma compra, o que importa é liquidar as suas dívidas, seja de forma total ou parcial, de forma a livrar-se do pagamento de juros, multas e comissões.

3. Poupe para a reforma

Embora muitas pessoas vejam esta como a última opção na hora de investir o seu dinheiro, poupar para a sua reforma pode ser uma das decisões mais inteligentes que pode tomar. Mesmo que ainda esteja longe,  vários analistas financeiros aconselham a iniciar um plano poupança-reforma aos 35 anos. Através deste PPR pode começar a capitalizar o seu investimento desde o início, por forma a aumentar a percentagem de capital reembolsado no final do período de vida ativa.

4. Liquide despesas ou pague compras sem recorrer ao crédito

Quando utilizamos regularmente o cartão de crédito, principalmente sem ser de uma forma regrada e com um objetivo bem definido, existe uma forte probabilidade de acumularmos dívidas difíceis de liquidar. Por isso, se pretende ir de férias, investir na sua formação, fazer obras em casa ou comprar algo que queira ou precise, aproveite o reembolso do IRS para fazê-lo, evitando assim juros ou prestações durante um longo período de tempo.

5. Amortize de forma parcial o seu crédito habitação

A prestação do crédito habitação representa um dos maiores encargos mensais das famílias portuguesas, se não o maior. Ao utilizar o dinheiro excedente do IRS para amortizar de forma parcial este empréstimo, vai conseguir diminuir a sua prestação mensal e reduzir o valor em dívida.

6. Poupe para o regresso às aulas

O regresso às aulas tem um grande impacto no orçamento e requer um maior esforço financeiro por parte das famílias portuguesas. Embora não seja logo evidente aplicar o reembolso do IRS em material e despesas escolares, na altura do regresso às aulas vai tornar-se num grande alívio para a sua carteira.

Para quem não entregou a declaração de IRS a tempo, se houver lugar a reembolso terá de esperar mais tempo para receber o dinheiro que pagou a mais em imposto, já que a Autoridade Tributária dá prioridade ao pagamento dos reembolsos relativos às declarações que tenham sido entregues dentro dos prazos legais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.